↑ Retornar para Para coordenadores

Imprimir Página

Guia para comissão julgadora

Guia para a Comissão Julgadora

Diretrizes Internacionais para as Olimpíadas de Neurociências (texto revisado em 03 de fevereiro de 2017), conforme publicado e divulgado pelo Comitê Internacional.

Responsabilidades dos Juízes

  • Todos os juízes devem seguir as Diretrizes de julgamento;
  • Uma cópia das Diretrizes deve ser disponibilizada aos juízes antes da competição;
  • Caso surjam situações não previstas pelas Diretrizes, os juízes devem tomar as decisões que sejam justas e iguais para todos os concorrentes;
  • Todas as decisões dos juízes são finais;
  • Não há processo de recurso para as decisões tomadas pela equipe de juízes durante a competição;
  • É responsabilidade do Coordenador Nacional garantir que todas as orientações sejam seguidas.

Qualificações dos Juízes

  • Todas as competições devem ter no mínimo 3 (três) juízes, de preferência com alguma expertise em alguma  das áreas de conhecimento em neurociências e fluência em português/inglês;
  • Os juízes podem ser brasileiros ou estrangeiros, sendo requisito ter conhecimento comprovado em neurociências.
  • Recomenda-se que os juízes tenham formação superior ou estejam se graduando na área biomédica, de saúde ou áreas afins.
  • Os nomes dos Juízes devem ser divulgados com antecedência na página da OBN;
  • Os juízes não devem possuir conflitos de interesse (participar da orientação/supervisão ou ser parente de algum dos concorrentes).

Deveres dos Juízes

  • Fazer uma avaliação preliminar das questões e traduções entregues (caso a competição seja bilingue);
  • Manter sigilo sobre as questões até o momento da  competição;
  • Os juízes devem ficar responsáveis apenas pelo julgamento da atividade e não por outras funções que possam demandar atenção como a atualização da pontuação;
  • Entregar prontamente as avaliações e/ou correções para que as mesmas possam ser trabalhadas por uma equipe de cálculos responsável pelas pontuações, as quais devem ser mantidas, e os cálculos feitos, em duplicada, por pelo menos dois indivíduos.

O acesso às perguntas

  • Os juízes devem ter acesso às perguntas e respostas antes da competição, a fim de familiarizar-se com elas;
  • Antes da competição, os juízes terão a liberdade de alterar perguntas, tirar dúvidas, ou alterar as respostas se encontrarem imprecisões ou conflitos, dentro de sua competência, devendo comunicar o fato à coordenação nacional;
  • Os juízes não devem remover ou ignorar questões durante a competição, devendo reportarem-se a coordenação nacional caso discordem ou verifiquem algo conflitante nas questões;
  • Todas as perguntas devem estar relacionadas com as neurociências. Perguntas sobre outros campos, como a política, música, matemática, e outros não são permitidas a menos que eles estejam diretamente relacionadas com as neurociências.

Questões de competição

  • As perguntas podem ser aplicadas verbalmente, podem ser apresentadas visualmente sobre uma tela ou ambos;
  • Respostas a perguntas podem ser orais, escritas ou ambos, conforme estabelecido previamente;
  • Diferentes perguntas podem ser dadas para cada competidor, ou as mesmas perguntas pode ser dadas a todos. Se diferentes questões forem dadas, o nível de dificuldade deve ser avaliado para que todos os competidores recebam questões de dificuldade comparável em cada rodada.

Qualificações dos concorrentes

  • Os competidores (alunos) só podem competir em apenas uma competição local por ano, ficando vedada que um mesmo aluno se inscreva em diferentes competições devido a variação de datas. Solicita-se aos coordenadores dos Comitês Locais que forneçam uma lista dos competidores para controle nacional;
  • As competições locais devem ocorrer entre janeiro e março/abril, enquanto a competição nacional entre abril e julho;
  • A competição internacional ocorre sempre entre os meses de agosto e setembro.
  • As coordenações nacional e internacional lembram que as olimpíadas envolvem indivíduos que competem uns contra os outros, e não grupos.  Entretanto, estimulamos que escolas e outras entidades realizem competições fora dos períodos oficiais de forma a fomentarem o estudo e divulgação das neurociências!

Formato das Olimpíadas

As Olimpíadas de Neurociências Locais não precisam incluir apenas perguntas objetivas e respostas. As comissões nacional e internacional fomentam a diversidade de avaliação. Assim, os coordenadores locais têm a liberdade de criar competições mais simples ou complexas, conforme a capacidade estrutural e financeira. Por exemplo, as competições podem incluir atividades de anatomia (com peças anatômicas reais ou modelos), histologia (utilizando microscópios ou pranchas impressas), diagnóstico de pacientes (com alunos/atores representando sintomas de doenças ou seguirem um padrão tradicional de  questões orais ou escritas, objetivas ou discursivas, etc. Em todos os casos, os juízes devem estar disponíveis e serem capazes de se certificarem que as respostas estão corretas.

A competição nacional brasileira será organizada de maneira a termos durante os dias de competição a realização de cinco etapas, sendo a pontuação máxima de 100 pontos obtida, conforme a seguinte divisão:

  • Neuroanatomia – avaliação prática/teórica (20%), que envolve a passagem dos candidatos por amostras de tecido nervoso humano conservado. Partes das peças estarão rotuladas com alfinetes numerados de 1 a 25. Os estudantes deverão lembrar os nomes e/ou funções das peças indicadas e marcá-los em suas folhas de resposta.
  • Neurohistologia – avaliação prática (5%), que envolve a passagem dos candidatos por amostras histológicas apresentadas em microscópios ou por meio digital e/ou impresso de tecido nervoso. Os estudantes deverão ser capazes de recordar os nomes das células, tecidos ou estruturas histológicas indicadas e as regiões do sistema nervoso relacionadas.
  • Live Questions – avaliação teórica (25%), que envolve responder a 25 perguntas apresentadas oralmente aos candidatos e corrigida na medida em que as questões são respondidas. Eles terão 15 segundos para escrever as respostas (questões abertas) em um bloco de respostas individual fornecido para cada candidato. Nesta etapa as questões abordam temas envolvendo conhecimentos gerais em neurociências: desenvolvimento, organização funcional, organização morfológica, comportamentos relacionados ao sistema nervoso, mecanismos de ação de drogas, envelhecimento e vários outros aspectos das neurociências.
  • Diagnóstico – avaliação prática/teórica (25%), que envolve a utilização de casos clínicos (apresentação de vídeos, dramatizações, desafios) a serem desvendados pelos candidatos. Nesta etapa os alunos assistirão a vídeos ou apresentação de quadros clínicos por atores (alunos/professores ou outros profissionais), sendo cada apresentação com duração de 1-2 minutos (10 apresentações por candidato).  O aluno poderá rterr acesso ao resultado de três exames laboratoriais e/ou clínicos para o diagnóstico de doença neurológica do paciente, conforme a escolha de uma das seguintes desordens: transtorno bipolar, epilepsia, dislexia, TDAH, doença de Parkinson, dependência/addição, doença de Alzheimer, doença de Huntington, acidente vascular cerebral (AVC/AVE), Síndrome de Korsakoff, Trauma /Lesão raquimedular, Doenças do Príon – Doença de Creutzfeldt-Jakob, Síndrome de Down, esquizofrenia, depressão, TOC, esclerose múltipla, esclerose lateral amiotrófica, síndrome de Tourette, hidrocefalia, paralisia cerebral, síndromes neurológicas relacionadas à SIDA, dor crônica e autismo. Poderão ser abordados os seguintes exames para teste diagnóstico: Teste de Inteligência, Teste de Memória, Exame saguíneo (Hemograma), Teste de DNA, Punção Lombar, Aferição de Pressão Arterial, Biópsa e Neuropatologia, Teste de condoção nervosa, Avaliação de reflexos, Avaliação motora, Avaliação sensorial, Eletroencefalograma, Eletromiografia, Estudo de fluxo sanguíneo cerebral, Tomografia Computadorizada (CT scan), Tomografia por Emissão de Pósitrons (PET scan), Imagem de Ressonância Magnética Funcional (functional MRI), Imagem de Ressonância Magnética (MRI scan);
  • Quiz – avaliação teórica (25%), que envolve responder a 30 perguntas apresentadas na forma de caderno de questões aos candidatos. Eles terão 30 minutos para escrever as respostas (questões abertas) ou assinalar entre as opções fornecidas (questões fechadas) em um bloco de respostas individual fornecido para cada candidato. Nesta etapa Nesta etapa as questões são corrigidas são abordados temas envolvendo conhecimentos gerais em neurociências: desenvolvimento, organização funcional, organização morfológica, comportamentos relacionados ao sistema nervoso, mecanismos de ação de drogas, envelhecimento e vários outros aspectos das neurociências.

 

Nota: a ordem de execução das avaliações será definida no dia da competição, assim como a ordem das peças anatômicas e das imagens histológicas entre os candidatos ou dependendo das circunstâncias locais e/ou da disponibilidade de recursos. A ordem ou mesmo a estrutura da competição (inclusão ou retirada de alguma etapa) poderão ser alteradas pelo Comitê Nacional, sendo a nova estrutura divulgada com antecedência no site e comunicada por e-mail aos Comitês Locais, Competidores e Responsáveis.

Tempo para Realização das Provas

A quantidade de tempo dado aos concorrentes para completar as suas respostas deve ser pré-determinado antes de qualquer questão individual ser apresentada. Um cronômetro ou relógio deve ser usado e um sinal sonoro e/ou visual deve indicar que o tempo para a resposta acabou. Se as respostas forem escritas, toda a atividade deve parar quando o tempo acabar. Se as respostas forem orais, deve ser dada a oportunidade do concorrente terminar a resposta se ele já tiver iniciado a mesma enquanto estava no tempo correto.

Em caso de Empate

Não está prevista a concessão de empate para os 3 primeiros colocados. Caso as notas sejam iguais, os juízes poderão acrescentar perguntas, na forma de rodadas orais ou escritas até que sejam definidos os três primeiros colocados (vitórias individuais). Se após a competição o vencedor não for capaz de competirão nível internacional, o coordenador deve determinar um método justo para indicação do candidato que representará o Brasil. Normalmente, é o competidor que alcança o segundo lugar.

Justiça

Juízes não devem mostrar viés a qualquer concorrente, dando-lhes mais tempo, dando-lhes sugestões, ou especificamente a escolha de perguntas para certos indivíduos. Tentativas razoáveis devem ser feitos para eliminar a possibilidade de fraude. Mantenha todas as questões confidenciais antes da competição. Auditivas e visuais dispositivos de gravação não deve ser permitido durante a competição. Todas as perguntas devem ser mantidos confidenciais ou destruída após a competição. Quando as respostas são escritas, as barreiras devem ser fornecidos, ou assentos separados, de modo a evitar a cópia visual das respostas. As aparências de equidade deve ser mantida em todas as vezes.

Língua

A competição nacional é bilíngüe (português/inglês), uma vez que visa selecionar um campeão nacional que será indicado para competir internacionalmente em um campeonato que utiliza o inglês como língua oficial.  As competições locais podem ser apenas em português, mas as questões fornecidas pelo Comitê Nacional são formuladas originalmente em inglês pelo Comitê Internacional. Pode-se usar um tradutor na competição internacional, caso o candidato não fale Inglês. Entretanto, este tradutor deverá ser fornecido pelo coordenador do respectivo país ou pelo concorrente. Tradutores devem assinar um acordo, indicando que eles não vão dar vantagem ao realizar a tradução.

Idade

Poderão participar das Olimpíadas de Neurociências estudantes que tenham, até o dia 1º de julho  no ano da competição, inclusive, o mínimo de 14 (quatorze) anos e o máximo 19 (dezenove) anos de idade e que estejam matriculados no ensino médio em andamento ou mesmo completo, desde que nunca tenham obtido matrícula em Instituição de Ensino Superior. Alunos selecionados em olimpíadas locais que não estejam na idade permitida ou com a documentação completa e de acordo com as normas nacionais serão automaticamente desclassificados, ficando os Comitês Locais responsáveis pela indicação de outro candidato elegível para o campeonato nacional.

 

_______________________________________________________________________________________
Esta Olimpíada de Neurociências é um evento sancionado oficialmente pela International Brain Bee.
© 2012 Organização Ciências e Cognição. Todos os Direitos Reservados. Por favor, envie sugestões de melhorias, correções e comentários para o suporte Web, aos cuidados de Glaucio Aranha.

Link permanente para este artigo: http://cienciasecognicao.org/brazilianbrainbee/quem-somos/guia-para-comissao-julgadora/

4 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Juliana Navas

    Boa noite,
    Gostaria de saber como posso me envolver melhor com a Olimpíada de Neurociência. Sei que não posso me inscrever como participante porque tenho 19 anos, porém gostaria de entrar como orientadora, ou género, sou acadêmica de medicina do Quarto Período, monitora de Neuroanatomia, e iniciei um curso EAD de neurociência. Gostaria de contribuir de alguma forma para a neurociência brasileira.
    Obrigada!

    1. cienciasecognicao

      Prezada Juliana,

      recomendamos que para colaborações e outros assuntos, o contato seja feito por e-mail: brazilianbrainbee@gmail.com. Será ótimo contar com colaborações.

      Att.,

      Comissão Organizadora

  2. Tamiris

    Boa tarde, somos do comite Bauru-Botucatu e preciso saber como cadastro os juízes.

    Atenciosamente,

    Tamiris.

    1. cienciasecognicao

      Tamiris,

      estas duvidas devem ser enviadas, decpreferencia, por e-mail para o comitê nacional.
      Att.,

      Coordenação Nacional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>