Guerra de Nervos #3


Após a Reunião, Nora foi para casa. Pagina1aSubiu o elevador sem pressa. Estava desanimada, furiosa e frustrada ao mesmo tempo. Precisava chegar logo ao seu apartamento, sabia que Gustavo estaria lá. Seu vigor tinha se esvaído. O romance que mantinham em segredo era a única coisa que parecia trazer alguma paz aos seus pensamentos. A cabeça estava envolvida em um furacão de ideias. Queria chegar e ser abraçada por ele. Ficar sentada em silêncio na companhia de Gustavo aguardando que os pensamentos entrassem em ordem. Já era onze horas da noite e o trânsito do Rio de Janeiro não ajudava muito. O tempo até seu apartamento no Recreio parecia uma eternidade, mas agora estava chegando e o peso sobre os ombros poderia ser, pelo menos, dividido.

Girou a maçaneta e reparou, pela primeira vez, que a cor estava ligeiramente desgastada. Deu-se conta, então, do quanto estava sem ânimo. Normalmente, chegava tão animada e agitada em casa que a cor da maçaneta seria a última coisa com a qual se preocuparia. Abriu a porta lentamente e foi recebida pelo sorriso acolhedor de Gustavo entre as bochechas gordas e esquadrinhadas pelo cavanhaque baixo. Pagina1bEle estava de pé próximo à porta e piscou para ela, mas nesse dia Nora não retribuiu o sorriso, pelo contrário se atirou nos braços dele.

Gustavo se deparou poucas vezes com este tipo de reação vindo dela. Normalmente, ela era determinada, brigona e mesmo prepotente. O tipo de pessoa que tem uma causa e luta por esta com fervor. Entretanto, ele sabia bem de um lado que a muralha do dia a dia escondia: a mulher sonhadora e idealista, mas também carente e frágil, que encontrou na rigidez uma forma de defesa. Ele passou a mão pelos cabelos longos e negros que desciam pelas costas.

– O que aconteceu?

Ela ficou alguns minutos quieta o abraçando. Depois, começou a se recompor, caminhou até uma das cadeiras da sala e se sentou. Os ombros pesados, bem como a cabeça, caíram para a frente.

Pagina1cGuto, nós estivemos do lado errado todo este tempo. Lembra como ficamos revoltados quando descobrimos o que era a União? Nós trocamos uma coisa por outra igual. Saímos da União, achando que a resistência buscava libertar a humanidade do controle mental mantido pela megacorporações. Você lembra quando nós conhecemos os agentes do Comando Imuno? A gente acreditou que eles eram uma resistência à manipulação em massa das pessoas. Nós viramos dois desertores e passamos a ser perseguidos pela União. Do dia para a noite, o neurofisiologista e a neuroengenheira mais badalados na cúpula de uma megacorporação como a União se transformaram em dois agentes procurados. Queríamos libertar as pessoas e nos juntamos ao Comando Imuno. Quer saber a verdade? Fomos traídos.

Gustavo andou até a janela. Nitidamente, a afirmação de Nora não representava uma surpresa para ele. Passou a mão pelo cavanhaque. Os olhos perdidos pareciam estar observando algo invisível.

Pagina1dConcordo… De certa forma, eu já estava chegando a esta conclusão, mas não tinha provas. Na verdade, faltava até mesmo indícios sólidos. Quando você começou a dizer que estava descobrindo algumas inconsistências nos dados de nossas fichas e que suspeitava do comportamento alterado de alguns dos nossos colegas, eu somei rapidamente o fato a outros que eu tinha.

– Como assim? – ela perguntou ainda olhando para o chão

O Alex também descobriu algumas irregularidades. Assim como você, ele também possui uma imunidade natural à ação dos nanitas, mas eu ainda não podia te falar nada. Você não notou como evitei contato com todos neste último mês, deixei de ir a reuniões e outros contatos. – Gustavo se aproxima de Nora e põe a mão no ombro dela. – Alex descobriu que eu estou contaminado. De alguma forma, nossas defesas não estão funcionando. Eu não posso tocar em ninguém que não seja naturalmente imune, afinal basta um toque na pele de outra pessoa para que os naninas transmitam pela rede neural todas as informações que recolheram da minha memória. E se isso acontecer, em poucos minutos, aparecerei na Neuronet e a União terá não só minha localização, mas também as memórias dos últimos anos. Ou seja, se me descobrem chegam a você e a todos ao nosso redor. Não sei como isso pode ter acontecido, afinal estive tomando os bloqueadores, não era para a contaminação estar ativa.

Pagina1eGustavo abraçou Nora como se fossem dois náufragos, encontrando um no outro a única sustentação que os impedia de se afogarem. O choro toma os olhos delas. A pouca luz na sala do apartamento parecia acolher o desamparo dos dois. Pela janela, entrava a luz indireta dos letreiros luminosos, tingindo de azul o espaço. Do nono andar, não dava para ouvir a cidade rosnando em buzinas e carros acelerados, mas o soluço de Nora parecia uma explosão seca de uma bomba no silêncio da sala.

Nós trouxemos a tecnologia da União para neutralizar o controle mental sobre as pessoas.   Que tolice, demos de presente para eles o que precisavam para se tornar tão opressores quanto os opressores. Afinal, foi sempre assim, não é mesmo? Quando o uso dos nanitas estava exclusivamente na mão da Chordata, a União e as outras megacorporações formavam uma resistência contra a manipulação da humanidade. A Chordata controlou a mente das pessoas na Alemanha e instituiu o nazismo e seu pensamento de massa. Quase criou um império. Depois, que foi derrubada, veio a divisão do espólio de guerra e a nanotecnologia que já haviam desenvolvido secretamente foi repartida entre as corporações aliadas. E no que foi que deu? No surgimento de novos manipuladores. Guto, nós fizemos a mesma coisa. Trouxemos a tecnologia para o Comando Imuno e eles agora querem se transformar em uma das corporações. Você está entendo? A cúpula do Comando Imuno tem outros planos. Eles estão usando os nanitas contra nós mesmos.

– Nora, a coisa não está perdida. Você é uma neuroengenheira brilhante. O novo protótipo que você desenvolveu é simplesmente inovador e único. Com ele, ganhamos um poder de imunização fantástico. Talvez seja uma questão de adiar. Eles sabem que vamos testar o protótipo semana que vem, leram nossos relatórios sobre o potencial e certamente vão querer por as mãos nele. Então ainda há tempo para não deixar que eles ponham as mãos no novo nanita. Vamos cancelar o teste do novo protótipo. Avise o Eduardo…

O rosto dela pareceu ficar mais iluminado. Era como se a determinação costumeira começasse a brotar novamente. Seus olhos se elevaram como se ela buscasse alguma informação no passado, depois abaixaram como se uma sentença estivesse sendo proferida dela para ela mesma. Então, fixaram-se em Gustavo, decididos.

Não, nós não vamos cancelar, eu mesma vou testar o novo nanorobô. Em relação à sua preocupação sobre o fato de estar tomando regularmente os inibidores, sinto muito ter que te dizer isso, mas as últimas remessas dos inibidores foram alteradas. Eles ainda protegem contra as configurações dos inimigos conhecidos, mas são totalmente inúteis os nossos nanitas. Guto, descobri que as cápsulas de neutralização da resistência são um engodo. Na verdade, cada vez que tomamos uma delas estamos ingerindo dezenas de nanitas-espiões do próprio Comando Imuno. Eles estão coletando informações nossas e alterando nossas memórias, assim como os inimigos. Eu descobri isso pelas mudanças de comportamento do Eduardo. Eles só não suspeitam que eu seja naturalmente imune. Eu irei realizar o teste, usando uma versão incompleta do nosso real protótipo. Passarei para o Alex todas as informações sobre o verdadeiro para que ele crie uma simulação. Assim, o teste irá falhar, pois usarei a versão antiga e os dados que eles obtiverem serão o resultado da simulação de Alex. Deste modo, pensarão que sabem exatamente o que ocorreu.

– Meu amor, eu não gosto da ideia. Nós não podemos subestimá-los tanto. Não temos ideia do que já sabem. E os métodos deles não tem a sutileza da União ou das outras corporações. Por isso, eles nunca conseguiram avançar antes de nos associarmos a eles.

Se conseguirmos enganá-los, teremos a oportunidade de validar o protótipo mais tarde e teremos a arma ideal contra eles.

Nora se levantou e avançou para seu escritório, próximo ao quarto. Ela era bem assim, após estabelecer uma meta nada a detinha. Por outro lado, Gustavo era mais estrategista. Ficou na sala incomodado com o plano dela. Havia muitas chances de erros, muitos aspectos delicados a considerar que Nora parecia não estar se importando. Enquanto ela avançava pelo corredor, disse para ele:

Vou colocar nosso nanita falso funcionando. Estou morrendo de sono, mas não vou dormir sem fazer isso.

 

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.