O Experimento de Pensamento do Quarto Chinês: a Crítica de John Searle à Inteligência Artificial Forte- por Maxwell Morais de Lima Filho

 

Dragão Fantástico-de Chico da Silva

Dragão Fantástico-de Chico da Silva

 

Artigo publicado originalmente em Argumentos – Revista de Filosofia, ano 2, nº 3 – 2010/ Universidade Federal do Ceará

 

Disponível em: http://www.filosofia.ufc.br/argumentos/pdfs/edicao_3/06.pdf

  

RESUMO:

 

Será que um dia serão desenvolvidos computadores digitais capazes de pensar de modo similar ao nosso? Ou será que, independentemente da tecnologia, os computadores digitais estarão sempre limitados a manipularem dados sem compreendê-los? Neste trabalho, apresentarei duas concepções antagônicas de Filosofia da Mente: a Inteligência Artificial Forte (IA Forte), que responde afirmativamente à primeira questão, e a crítica de John Searle a esta corrente, que, por sua vez, responde de maneira afirmativa à segunda questão. Para tanto, iniciarei o artigo apresentando o famoso jogo da imitação proposto por Alan Turing (1950) para decidir se uma máquina é ou não inteligente, jogo este que ficou conhecido como teste de Turing. Logo em seguida, analisarei minuciosamente o experimento mental do quarto chinês (proposto em 1980 por John Searle), que é uma crítica ao teste de Turing e ao programa de pesquisa da Inteligência Artificial Forte (IA Forte).

 

Palavras-chave: Teste de Turing; Inteligência artificial; Quarto chinês; John Searle.

 

 

ABSTRACT:

 

Will one day developed digital computers be able to think in a similar way we human beings do? Or, being independent of technology, will they always be limited to manipulate data without comprehend them? In this work, I will present two opposite conceptions of Philosophy of Mind: the Strong Artificial Intelligence, which responds positively to the first question, as well as John Searle’s critique to this line, which responds positively to the second question. Therefore I will begin the article presenting

the famous imitation game proposed by Alan Turing (1950) in order to decide if a machine is intelligent or not. This game is known by Turing’s test. Then I will exhaustively analyze the mental experiment of the chinese room, proposed by John Searle in 1980, which is a strong critique to the Turing’s Test and to the research program of the Strong Artificial Intelligence.

 

Key words: Turing’s test; Strong artificial intelligence; Chinese room; John Searle.

Maxwell Morais de Lima Filho– Biólogo, Mestre e Doutorando em Filosofia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Sou Membro Associado da Sociedade Brasileira de Filosofia Analítica, Professor de Filosofia do Instituto de Ciências Humanas, Comunicação e Artes (ICHCA) e Pesquisador do Grupo Linguagem e Cognição da Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

 

 

 

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *