The state of consciousness in patients in the vegetative and minimally conscious states – Edward Ziff, Elisabete Castelon Konkiewitz

 

Resumo
Pacientes com lesão cerebral, quando assistidos, podem continuar a desempenhar funções
fisiológicas básicas, mesmo estando com a vigília, a atenção, a capacidade de decisão e
outras funções de consciência prejudicadas. Revisamos aqui dois níveis de distúrbio de
consciência o estado vegetativo (VS) e o nível de consciência mínima (MCS), e discutimos
como são diagnosticados através das respostas comportamentais durante o exame clínico.
Abordamos como a neuroimagem funcional revelou capacidades cognitivas preservadas em
pacientes supostamente em estado vegetativo, introduzindo um novo diagnóstico: a
dissociação cognitivo-motora. Revisamos a proposta da Global Workspace (GW) teoria de
que a consciência surge a partir de um alto grau de conectividade funcional (FC) entre áreas
cerebrais distantes. Discutimos como esta alta conectividade é a base do Default Mode
Network (DMN), uma rede neural ativada quando o indivíduo não está envolvido com tarefas
externas e se volta para atividade mental introspectiva. Finalmente, discutimos os achados
de redução do nível de FC no DMN em pacientes com lesão cerebral e a proposta de que o
mesmo poderia ser um índice do nível de consciência nesses pacientes.

Para ler o artigo completo: http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1449

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *