Yoga para crianças com Transtorno de Déficit de Atenção/ Hiperatividade (TDAH)- por Millene Romero e Paula Costa – Neurociências em Debate

dez 03 2017

Yoga para crianças com Transtorno de Déficit de Atenção/ Hiperatividade (TDAH)- por Millene Romero e Paula Costa

O Transtorno de Déficit de Atenção/ Hiperatividade (TDAH) é um quadro caracterizado por um prejuízo nos mecanismos que regulam a atenção e a atividade motora. A tríade de sintomas clássica na síndrome é caracterizada pela presença de: hiperatividade extrema, desatenção e impulsividade.1,6  Independente do grau  classificatório empregado, crianças que apresentam TDAH são notoriamente reconhecidas devido ao comportamento intempestivo; é comum que ocorra dificuldade em  realizar tarefas que exijam atenção, como atividades lúdicas na escola, devido à facilidade de distração por estímulos alheios à atividade proposta.1

A desatenção, um dos sintomas mais frequentes nesta síndrome, é identificada pela grande dificuldade em estar atento a detalhes devido à falha na condição de concentração; esse é um dos motivos pelos quais as crianças com TDAH relutam no envolvimento com atividades que exijam esforço mental constante.1

A agitação corporal é constante, dificultando a realização de tarefas que exijam que permaneçam sentados. A realização de uma tarefa de lazer em silêncio seria assim um grande desafio.1

Além dos comportamentos acima, a autoestima destas crianças encontra-se com frequência rebaixada, o que pode se justificarpelo isolamento social que acabam sofrendo devido ao modo como tentam estabelecer as suas relações. Além disso, não podemos desconsiderar que a maior parte de suas atitudes e ações são vistas como inadequadas, o que ainda é acentuado pelas frustrações que vivem por não conseguirem realizar atividades escolares como os colegas.

Sem sombra de dúvidas, o conjunto das alterações causadas pelo TDAH é notório, tornando muitas vezes o aluno que possui o transtorno estigmatizado.2 Além disso, essa síndrome muitas das vezes não é conhecida por professores e profissionais que farão parte do cotidiano da criança.2 Os dois fatores , a estigmatização e o desconhecimento juntos, tornam mais difícil a abordagem dessas crianças.2,3

Pais e familiares também encontram muita dificuldade em lidar com seus filhos com TDAH, , mesmo depois da confirmação do diagnóstico. Para eles,  o desafio é ainda maior, tendo em vista a pressão social existente em relação à necessidade de uma educação que enquadre a criança e suas atitudes em padrões ditos normais.1

Até hoje é comum que se diga que o TDAH é um distúrbio essencialmente infantil. Sabemos, porém, que isso não é uma verdade: a maioria das crianças com TDAH na infância terão sintomas por toda a vida, que poderão ou não interferir de modo significativo em suas vidas profissionais, sociais e familiares.1

Sabe-se que adultos afetados pela síndrome, deveriam ter diagnósticos realizados ainda na infância, onde o apoio de uma equipe multidisciplinar apontaria uma melhora significativa, o que corroboraria em adultos menos atingidos, e controlados.1

 

Terapias complementares e alternativas

 

Terapias complementares e medicina alternativa (CAM), incluindo o yoga, são   aplicadas em crianças diagnosticadas com TDAH. A frequência do uso de terapias CAM em crianças com TDAH varia entre 12 e 64%.4, mas pouco se sabe sobre a sua eficácia.

Nos últimos anos, a meditação vem sendo cada vez mais divulgada como uma forma de tratamento de condições psicológicas. Estão surgindo evidências de ensaios clínicos randomizados que apoiam as crenças populares sobre os efeitos benéficos do yoga no tratamento deTDAH, os longos períodos de concentração exigidos durante a prática do yoga funcionariam como um treinamento mental para aumentar gradativamente a capacidade de atenção duradoura, de foco em um único ponto, reduzindo assim o déficit de atenção. Além disso, o yoga, ao produzir um estado de calma e contentamento, contrabalançaria a agitação das pessoas com TDAH.4

A prática do yoga com crianças

O Yoga para crianças se adapta às fases do desenvolvimento motor e cognitivo.7 Desta forma, é possível começar em qualquer idade e a prática vai se basear num programa estruturado para transformar as “brincadeiras” em prática ao longo dos meses ou anos. Assim torna-se uma experiência lúdica, onde os jogos, as histórias e brincadeiras tornam-se um meio para se trabalhar os conteúdos do Yoga. 7

A prática de Yoga fornece ao praticante ferramenta para observar e experimentar as transformações no corpo e na mente. O que ocorre com o adulto ocorre com as crianças em níveis diversos. Cada idade as adaptações das práticas apresentam seus desafios. 7

Embora para cada fase do desenvolvimento haja métodos específicos, de maneira geral, os benefícios, desde crianças pequenas  às pré-adolescentes, são os mesmos, tais como melhora da coordenação entre respiração e  movimento, fortalecimentomuscular com desenvolvimento de um tônus muscular adequado à estrutura óssea da criança., desenvolvimento da concentração e ajuda no combate à ansiedade, . A prática regular dos asanas (posturas) com crianças cria bases para manter a  flexibilidade e o alongamento na puberdade e na fase adulta. Os demais componentes da prática (exercícios respiratórios e meditação) podem contribuir para o desenvolvimento de uma maior estabilidade emocional, por exemplo, diante de frustrações, elementos distratores e escolhas. Um estudo controlado feito na clínica de psiquiatria e psicoterapia infantil da Universidade de Heidelberg (Alemanha) concluiu que o yoga é um tratamento complementar altamente indicado para o TDAH.4 Segundo os pesquisadores, o yoga, aliado à medicação, mostrou-se mais eficaz  que outras práticas de atividade física na redução dos sintomas relacionados ao distúrbio.4 Num outro nível, o yoga prepara a criança para se perceber melhor. Ele amplia gradualmente a consciência de si mesma e do mundo. A partir da melhora da percepção do corpo, das sensações, da melhora do equilíbrio, da respiração, e posteriormente em níveis mais profundos, da estabilidade emocional, a criança passa a assumir uma relação mais harmônica e integrada com a realidade e cria uma base para um amadurecimento saudável e integrado. 7

Vários são os benefícios numa prática de Yoga, como: percepção do corpo e da mente, desenvolvimento da concentração, criatividade, imaginação, autoestima, equilíbrio, agilidade, autoconfiança, liberação e organização da energia muscular e mental, o que proporcionará maior alívio interior, bem-estar e serenidade.

Com a prática, as crianças recebem e descobrem ferramentas que poderão auxiliá-la a superar e compreender os medos e os estados de ansiedade, de crescer com saúde física e mental, promovendo a tranquilidade, prevenindo problemas de posturas e respiratórios.

Yoga versus  hiperatividade

O maior desafio das crianças com TDAH é a falta de concentração. Embora possam frequentemente ser crianças com alto grau de inteligência, há uma percepção exacerbada do mundo em sua volta e ao mesmo tempo uma consciência própria corporal muito diminuída. É perceptível que essas crianças apresentam-se frequentemente inquietas e necessitam movimentar o corpo.8 Nesta concepção, o yoga assume um papel crucial, como metodologia alternativa que ajudará a criança na concentração que tanto necessita.

Esta arte milenar visa, através de posturas físicas e do controle da respiração, a estabilização de mente e assim consequentemente atua sobre o problema central do TDAH, conduzindo essas crianças para um caminho de conquista pessoal da capacidade de introspecção, de auto-controle e de estabilidade psicológica.

Millene Romero e Paula Costa- graduandas do curso de medicina-FCS/UFGD-XIVa turma

 

Bibliografia:

¹Rohde LA, Mattos P. Princípios e práticas em TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade) Porto Alegre: Artmed; 2003. p236.

2Andrade, Ênio Roberto de. Indisciplinado ou hiperativo. Nova Escola, São Paulo, n. 132, p. 30-32, maio 2000

3Sampaio, Cyntia Meditação, Saúde e Healing in: Encontro Paranaense, Congresso Brasileiro de Psicoterapias Corporais, XV,X, 2010 Anais Curitiba. CENTRO Reichiano, 2010 – Cd Rom  ISBN – 978-85-87691-18-7 – Disponível em: www.centroreichiano.com.br/artigos

4Lange KM, Makulska-Gertruda E, Hauser J, Reissmann A, Kaunzinger I, et al. (2014) Yoga and the Terapy of Children with Attention Deficit Hyperactivity Disorder. J Yoga Phys Ther 4: 168. doi:10.4172/2157-7595.1000168

5GCD Taciana, K Christian, SGM Ana, SM Tais, AR Luis, VP Guilherme.(2013) Developments and Challenges in the Diagnosis and Treatment of ADHD. Ver Bras Psiquiatr 2013;35(Suppl 1)doi: 10.1590/1516-4446-2013-S103

6Desidério RCS, Miyazaki MCOS. Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH): Orientações para a Família. Ver Sem da Ass Bras de Psic Esc e Ed (ABRAPEE) Vol II n.I Jan/Jun 2007 p. 165-178.

7Packer L. Yoga para crianças, Trabalho de Conclusão de Curso de Formação de Yoga de Laura Packer. Joinville, 2011

8Stroh JB. TDAH – diagnóstico psicopedagógico e suas intervenções através da Psicopedagocia e as Arteterapia. Constr. Psicopedag. Vol.18 no.17 São Paulo dez. 2010.

Link permanente para este artigo: http://cienciasecognicao.org/neuroemdebate/?p=4000

1 comentário

  1. Seus artigos são muito didáticos e agradáveis de ler!! Sou instrutora de Yoga e posso afirmar que minha turma de crianças vem evoluindo de forma considerável com a prática constante. Em menos de um ano, muitos pais relataram diferenças no comportamento de seus filhos. Além de ficarem mais calmos, mostram-se mais receptivos à estímulos externos como conversas mais sérias, pedidos de atenção e respeito ao próximo. Obrigada pela sua contribuição doutora!

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.