out 11 2018

Células de contextualização espacial dos eventos no hipocampo: memorizar onde as coisas aconteceram.

Brain Cells ‘Geotag’ Memories To Cache What Happened — And Where

disponível em https://www.npr.org/sections/health-shots/2013/11/28/247541093/brain-cells-geotag-memories-to-cache-what-happened-and-where; acessado em 10/10/2018)

 

Place cells – individual cells in the hippocampus that fire only when an animal is in a particular location. Each place cell responds maximally to one location, known as its spatial receptive field.

 

Pense em um evento importante em sua vida: uma formatura, um nascimento, um jantar especial de Ação de Graças. É provável que você esteja se lembrando não apenas do que aconteceu, mas também de onde isso aconteceu. E  agora os cientistas pensam que sabem por quê.  À medida que formamos as chamadas memórias episódicas, o cérebro parece estar usando células especiais no hipocampo para “geotag” cada evento, relatam pesquisadores na Science.  O processo é semelhante ao que algumas câmeras digitais fazem quando marcam cada foto com informações sobre onde a imagem foi tirada.

hipocampo-corte transversal

Como resultado dessa georreferenciação automática, as memórias sobre lugares e eventos são “fundidas”, diz Michael Kahana, psicólogo da Universidade da Pensilvânia e um dos autores do estudo. “Você chega a um local onde algo aconteceu e lembra um evento”, diz ele. “Ou você pensa em um evento e lembra-se do lugar onde aconteceu.”

Kahana fez parte de uma equipe internacional de cientistas que descobriu como funciona o sistema de geotagging do cérebro, estudando sete pacientes epilépticos na Alemanha. Os pacientes aguardavam cirurgia e tinham fios no cérebro que permitiam aos pesquisadores medir a atividade das células cerebrais individuais. Isso deu à equipe de Kahana uma maneira de observar o que aconteceu quando as memórias foram formadas e recuperadas.

hipocampo-corte coronal

Os pacientes do estudo jogaram um videogame envolvendo uma cidade virtual. Nos estágios iniciais do jogo, “você dirige pela cidade e aprende onde estão os diferentes locais importantes”, diz Kahana. Uma vez que os jogadores haviam formado um mapa mental da cidade, o jogo os levou a locais específicos, como a loja de brinquedos, a floricultura ou a padaria. Enquanto isso, os pesquisadores estavam monitorando a atividade no hipocampo de cada jogador, que é onde o cérebro cria os mapas mentais que nos ajudam a navegar.  Esses mapas dependem de células especiais de “lugar” que se tornam ativas quando chegamos a um local específico. E os pesquisadores conseguiram identificar células de lugar em cada jogador que respondiam a locais específicos na cidade virtual. 

Algumas memórias persistem. Uma vez que essas células foram identificadas, os jogadores começaram a última parte do videogame. Agora, cada vez que chegavam a um local, eles aprendiam o item que haviam entregado lá. “Então, quando você chegar à padaria, uma voz vai aparecer e dizer que você acabou de entregar uma torta”, diz Kahana. Isso criou ligações mentais entre lugares (como a padaria) e eventos (como entregar uma torta).

Depois veio a parte difícil: encontrar evidências desses elos no cérebro. Para fazer isso, os pesquisadores monitoraram a atividade das células de lugar, enquanto os jogadores recordavam objetos específicos que haviam entregado. E a equipe descobriu que, pouco antes de uma pessoa lembrar que havia entregado uma torta, houve uma explosão de atividade nas células associadas à padaria – o local onde a entrega foi feita. Isso sugere que o hipocampo está constantemente usando células locais para geotag eventos em nossas vidas, diz Kahana.

 A descoberta revela muito sobre como o cérebro fornece contexto para memórias episódicas, diz Howard Eichenbaum, da Universidade de Boston. Saber onde algo aconteceu é um importante contexto. Mas também é importante saber quando algo aconteceu, ele diz.

As células que agem como registros de tempo ainda não foram encontradas em um cérebro humano, diz Eichenbaum. Mas ele encontrou células que realizam essa função no hipocampo de ratos. “Assim, parece que o hipocampo mapeia as coisas no tempo”, diz Eichenbaum, “muito do jeito que mapeia no espaço”.

Link permanente para este artigo: http://cienciasecognicao.org/neuroemdebate/?p=4353

2 comentários

  1. Artigo interessante

  2. Neurociencia

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.