Neurofisiologia da dor-por Diego Fleury de Lemos Pereira

1.INTRODUÇÃO   O termo dor, tem sua origem no latim dolor, que significa sofrimento. Em populações primitivas, a dor derivada de lesões físicas era compreendida, no entanto, aquela relacionada as doenças, eram atribuídas a forças sobrenaturais e a penalização por pecados humanos (Lent, 2008). Hoje, sabemos que a dor é … Continue lendo…

Tratamento experimental inibe a dor de animais com neuropatia diabética-Ciência&Mulher-Publicação da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência

    Um peptídeo conhecido como hemopressina – naturalmente encontrado no organismo humano e de outros mamíferos – se mostrou uma alternativa promissora no tratamento da neuropatia diabética em experimentos com camundongos conduzidos no Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP). Os primeiros resultados da pesquisa, realizada … Continue lendo…

Por que a dor neuropática é mais comum no idoso? Alterações associadas à idade predispondo à neuroplasticidade mal adaptativa, por Elisabete Castelon Konkiewitz e Edward Benjamin Ziff

Neurociências • Volume 8 • Nº 4 • outubro/dezembro de 2012-Editora Atlântica Resumo A dor neuropática é uma forma de dor patológica grave, muitas vezes incapacitante e de difícil tratamento, resultando da neuroplasticidade mal adaptativa do sistema nervoso central (SNC) e periférico (SNP) como conseqüência de sua lesão, ou disfunção. … Continue lendo…

Dor do membro fantasma- por Ana Carolina F. Gonçalves Sarzi e Jéssica Krieger de Souza

Introdução Dor do membro fantasma “phantom pain” e sensações de membro fantasma estão ligados, mais devem ser diferenciados um do outro. Enquanto, sensações de membros fantasmas são experimentados por aqueles com deficiência congênita de um membro, lesão da medula espinhal ou amputação, a dor do membro fantasma quase que exclusivamente … Continue lendo…

Dor na doença de Parkinson-por Jaquelyne Oliveira Silva e Pedro Fonseca Ferreira

Introdução     Dor é um sintoma muito frequente na Doença de Parkinson (DP). Desde a primeira descrição (1817) por James Parkinson, já se fazia referência à “dor do tipo reumática” ipsilateral à extremidade afetada. Charcot, posteriormente, descreveu diferentes tipos de dor experienciados pelos pacientes com DP. Os sintomas não … Continue lendo…

A dor que sentimos-por Stefânia Forner

Dor é um processo fisiológico e de sobrevivência, nos faz sentirmos “vivos” e serve como um alerta contra ameaças à integridade física do organismo, uma vez que pessoas que não sentem dor tem expectativa de vida bastante curta. Falar de dor e não pensar em Frida Kahlo, artista mexicana e … Continue lendo…