Você precisa mapear o seu cérebro!- por Elisabete Castelon Konkiewitz

O cérebro governa todo o corpo. De fato, é nesse órgão que se iniciam os comandos para tudo o que fazemos e percebemos, desde as funções mais básicas para a sobrevivência, como respiração, batimentos cardíacos, digestão, até as experiências mais complexas, como os sonhos, o raciocínio matemático, a paixão, o… Continue lendo…

  Estado vegetativo e estado minimamente consciente: como diferenciá-los clinicamente? por Janieli Monteiro Lima Cabreira, Jaquelyne Oliveira Silva, Lorene Maira Vasques e Pedro Fonseca Ferreira

 RESUMO               A diferenciação clínica entre o Estado Minimamente Consciente (EMC) e o Estado Vegetativo (EV) constitui-se em um importante desafio enfrentado pelas equipes médicas intensivistas, uma vez que esta é crucial para as tomadas de decisão de fim de vida, já que estes dois grupos de pacientes apresentam… Continue lendo…

IV International Grand Dourados Neuroscience Symposium-October, 4th-7th, 2017-http://neurocienciasdourados.com.br/index.html

    A Faculdade de Ciências da Saúde (FCS) da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) vem com alegria anunciar e convidar a todos para o IV International Grand Dourados Neuroscience Symposium, o qual ocorrerá entre 04 e 07 de outubro de 2017. Esta é a quarta edição internacional do… Continue lendo…

Mentes inquietas: Transtorno de déficit de atenção com hiperatividade, melhora do aprendizado com neurofeedback- por Helder Freitas dos Santos

Resenha do artigo, “Are treatment effects of neurofeedback training in children with ADHD related to the successful regulation of brain activity? A review on the learning of regulation of brain activity and a contribution to the discussion on specificity”. Zuberer A, Brandeis D, Drechsler R. Department of Child and Adolescent… Continue lendo…

Compreendendo o que é epilepsia e o papel da neurocirurgia no seu tratamento-por Leandro Codognoto da Silva e Marcelo Oliveira Coutinho

  Definição da epilepsia Trata-se de uma doença crônica caracterizada por crises epilépticas espontâneas e repetidas. Para que o diagnóstico possa ser estabelecido, é preciso que o paciente apresente, pelo menos, duas crises dentro de um ano, sem uma causa externa, como febre, ingestão de álcool,  intoxicação por drogas, ou abstinência.… Continue lendo…