Modelos Epigenéticos e Transtorno do Estresse Pós-Traumático: por Millene Araújo Romero e Paula de Almeida Souza Santos da Costa

  Introdução   A exposição a eventos estressantes durante o desenvolvimento produz alterações duradouras no eixo hipotálamo-pituitária-adrenal (HPA), que podem aumentar a vulnerabilidade a diversas doença psiquiátricas, incluindo o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) e transtornos de humor e ansiedade.  Quando o diagnostico do TEPT começou a ser discutido, a… Continue lendo…

Como o estresse social leva à depressão? por Victor Colpo e Bruno Ernandes. Resenha do artigo “From Stress to Inflammation and Major Depressive Disorder: A Social Signal Transduction Theory of Depression”. George M. Slavich and Michael R. Irwin -Psychological Bulletin-American Psychological Association 2014, Vol. 140, No. 3, 774–815

Fatores ambientais e sociais podem causar alterações biológicas que  levam à depressão. A chave para o entendimento dessa relação de causalidade é a noção de que o estresse pode modular o sistema imune , o qual influi no funcionamento do sistema nervoso central (SNC). Primeiramente, o SNC, que é a… Continue lendo…

Neurobiologia da obesidade- por Camila Betelli e Thais Moreira

  Introdução     Segundo o INBIO (Instituto Brasileiro Interdisciplinar da Obesidade) a obesidade é considerada uma síndrome multifatorial, em que a genética, o ambiente e o metabolismo interagem, assumindo diferentes quadros clínicos, nas diversas realidades socioeconômicas. Embora seja um tema recorrente da atualidade, a obesidade é observada e analisada… Continue lendo…

Neurobiologia do instinto materno, por Bruna Scheidt Gregianin, Karoline Becker Paraboni e Natanye Lemes Matchil.

  O instinto materno é descrito como uma tendência primordial que cria em toda mulher um desejo de maternidade e que, uma vez satisfeito, incita a mãe a zelar pela proteção física e moral dos filhos. Está bem estabelecido que os parâmetros característicos do comportamento maternal são mais intensos na… Continue lendo…

Adversidades na infância, epigenética e Diabetes Mellitus- por Mateus Lima do Prado, Matheus Timm Avila e Thaís Gassi Jorge

Introdução   O funcionamento e a organização do cérebro humano dependem de experiências que influenciam a expressividade genômica. Níveis anormalmente elevados de estresse, principalmente em crianças, podem lesar o desenvolvimento cerebral, afetando também, e muitas vezes de forma permanente, as atividade dos sistemas neurorregulatórios. Isso ocorre porque a infância é… Continue lendo…