O QUE AS ADVERSIDADES NA INFÂNCIA TÊM PARA NOS DIZER SOBRE A PREVENÇÃO DO HIV? – por Brenda Barzotto Arnold e Murilo Higa Cimatti de Andrade Kratz Resenha do artigo: Fang, L., Chuang D.M., Lee, Y. Adverse childhood experiences, gender, and HIV risk behaviors: Results from a population-based sample. Preventive Medicine Reports 4 (2016) 113-120.

A identificação de características preditivas em um indivíduo é foco em diversas áreas do conhecimento humano. Na educação, podemos tomar como exemplo os diversos perfis de alunos e suas necessidades, que levam ao desenvolvimento de teorias e formulação de estudos para obter o máximo de desenvolvimento intelectual possível para aquela… Continue lendo…

O polimorfismo genético do BDNF e seu papel na reconsolidação e na atualização das memórias, por Isabelle Monte e Lizia Kinsley – Uma resenha do artigo “Preventing the Return of Fear Using Reconsolidation Update Mechanisms Depends on the Met-Allele of the Brain Derived Neurotrophic Factor Val66Met Polymorphism”

Sabemos que o processo de formação e consolidação de memórias está relacionado com diversos mecanismos complexos que envolvem regiões do córtex, a amígdala e o hipocampo e também aspectos neuro-humorais, com diversos sinalizadores envolvidos nesse processo, dentre os quais o fator neurotrófico derivado do cérebro (cuja sigla em inglês é… Continue lendo…

  Estado vegetativo e estado minimamente consciente: como diferenciá-los clinicamente? por Janieli Monteiro Lima Cabreira, Jaquelyne Oliveira Silva, Lorene Maira Vasques e Pedro Fonseca Ferreira

 RESUMO               A diferenciação clínica entre o Estado Minimamente Consciente (EMC) e o Estado Vegetativo (EV) constitui-se em um importante desafio enfrentado pelas equipes médicas intensivistas, uma vez que esta é crucial para as tomadas de decisão de fim de vida, já que estes dois grupos de pacientes apresentam… Continue lendo…

IV International Grand Dourados Neuroscience Symposium-October, 4th-7th, 2017-http://neurocienciasdourados.com.br/index.html

    A Faculdade de Ciências da Saúde (FCS) da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) vem com alegria anunciar e convidar a todos para o IV International Grand Dourados Neuroscience Symposium, o qual ocorrerá entre 04 e 07 de outubro de 2017. Esta é a quarta edição internacional do… Continue lendo…

Modelos Epigenéticos e Transtorno do Estresse Pós-Traumático: por Millene Araújo Romero e Paula de Almeida Souza Santos da Costa

  Introdução   A exposição a eventos estressantes durante o desenvolvimento produz alterações duradouras no eixo hipotálamo-pituitária-adrenal (HPA), que podem aumentar a vulnerabilidade a diversas doença psiquiátricas, incluindo o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) e transtornos de humor e ansiedade.  Quando o diagnostico do TEPT começou a ser discutido, a… Continue lendo…

Depressão e resiliência em mulheres com infecção pelo HIV-resenha do artigo “Depression and resilience in women with HIV and early life stress: does trauma play a mediating role? A cross-sectional study”- por Bruno Ernandes e Vitor Colpo

    O surgimento da terapia antirretroviral e o aumento da expectativa de vida de indivíduos infectados com o vírus HIV trouxe consigo o aumento da prevalência de morbidades psiquiátricas, como depressão e ansiedade, nesses indivíduos. A prevalência de depressão em portadores do vírus HIV chega a ser de duas… Continue lendo…

O uso de drogas no tratamento de estresse pós-traumático-Ciência&Mulher-Publicação da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência

  O estresse pós-traumático é um transtorno psiquiátrico que pode afetar pessoas que sofreram algum tipo de trauma como, por exemplo, um assalto, um ato de violência extrema ou a perda repentina de um ente querido. O transtorno acontece quando, diante de uma situação de medo ou de ansiedade, o… Continue lendo…

HIV-positive women with childhood trauma have double the brain trouble-by Dr Georgina Spies

  HIV-positive women who have endured a trauma such as emotional, physical or sexual abuse, or neglect earlier in their lives are more likely to have trouble remembering, paying attention or multitasking. Parts of their brains are also smaller than women who are only affected by HIV.   In the… Continue lendo…