«

»

jul 18

Imprimir Post

Insônia: uma noite “de dar nos nervos”

Insônia: uma noite “de dar nos nervos” 

Quem nunca passou uma noite em claro tentando dormir sem sucesso porque o sono desapareceu? Apesar de ser muito comum, a insônia não chega a ser uma doença, mas é considerada um distúrbio do sono que pode causar doenças graves se não for tratada. Outros distúrbios do sono são: o ronco, a apneia do sono (ficar sem respirar, enquanto dorme), hipersonia (isso mesmo, dormir todo dia muito mais que 8 horas pode ser sinal de problemas), narcolepsia (uma espécie de sono irresistível durante o dia, mesmo tendo dormido uma boa noite de sono), entre outros. mas vamos nos limitar a um desses distúrbios neste texto: a insônia.

Mas o que é a insônia?

É a dificuldade de dormir ou de permanecer dormindo durante a noite. Pode tomar diversas formas, por exemplo: ter um sono breve com impossibilidade de voltar a dormir depois ou dormir períodos curtos intercalados com intervalos  sem sono. Isto, obviamente, sem um motivo justificado. Dormir pouco uma única noite porque está preocupado com algo que vai acontecer no dia seguinte, não é exatamente uma insônia preocupante, mas o resultado da ansiedade ou preocupação, ok? E fique atento, pois a insônia não é definida pelo número de horas dormidas, pois as pessoas têm necessidades de sono diferentes.

 A insônia pode ser classificada em relação à sua duração como:

  • crônica – quando é permanente, ou seja, ocorre na maioria das noites e dura mais de um mês;
  • intermitente – quando vem e vai, em intervalos de tempo frequentes;
  • transiente (ou transitória) – quando ocorre de tempos em tempos, com duração de um período relativamente curto, geralmente é causada por um algum abalo emocional grave, podendo ir de desde algumas poucas noites até uma ou duas semanas.
Quando temos várias interrupções em uma noite de sono, prejudicamos a progressão das etapas do sono (ciclos do sono) que são essenciais não só para descansar o corpo, mas também a mente. Nós temos dois tipos de sono: o sono não REM (NREM) e o sono REM. Parece complicado? Não é, não. Na verdade, é bem legal! REM é uma sigla para (Rapid Eye Movement ou “Movimento Rápido dos Olhos”). Sabe por quê tem esse nome? Porque nesta fase do sono os nossos olhos, mesmo fechados, ficam mexendo rapidamente de um lado para o outro. Sim, e existe uma razão para isso. É que o cérebro está trabalhando em uma etapa do sono envolvendo situações emocionais muito fortes, é aqui que a maioria dos sonhos acontecem. Alguns estudiosos acreditam que os nossos olhos estão mexendo como se nós estivéssemos de fato olhando para as coisas ao nosso redor, mas não é só isso. Esse assunto é muito rico e ainda vamos voltar a ele em futuros posts aqui no Neuroteen, mas se estiver curioso, basta clicar nos links que criamos em algumas palavras que você vai descobrir coisas bem legais. Mas vamos voltar ao nosso tema aqui, que é a insônia.

E afinal o que causa insônia?

Bem, muitas coisas diferentes podem causar a insônia, por exemplo, o estresse, muita cafeína (contida não só no café, mas também em bebidas como Coca-Cola, Pepsi, Mate), depressão, ansiedade, grandes mudança de hábitos (como trabalho em turnos) e dores. Mas é importante ter em mente que a insônia não chega a ser considerada um problema sério de saúde, daqueles que não têm solução, também não é por aí. Então por quê ela é considerada um “distúrbio da saúde”?A resposta é simples. É que ela pode causar consequências importantes e aí sim bem graves, como é o caso da depressão, de dificuldades de concentração, de falta de energia, de irritabilidade e de sonolência durante o dia. Já pensou nos efeitos de dormir enquanto dirige? Pois é!

Quantas horas de sono são realmente necessárias?
Olha, a maioria das pessoas em idade adulta necessita de cerca de 6 a 8 horas de sono bem, dormido durante cada noite. Isso não quer dizer que uma pessoa seja anormal por dormir menos de 6 horas, não, ok? Por exemplo, alguns monges descansam seus cérebros praticando regularmente meditação, o que faz com que precisem se menos tempo de sono. E uma curiosidade: os golfinhos nunca dormem completamente. Eles descansam um lado do cérebro (hemisfério cerebral) enquanto o outro fica acordado e depois trocam. Por que? Ora, os golfinhos são mamíferos e precisam respirar fora da água, se dormissem por completo e afundassem acabariam morrendo afogados (asfixia). Mas para os humanos, uma boa média de sono gira em torno de 8 horas.

O que eu posso fazer para dormir melhor?
-Vá para a cama e acorde sempre nos mesmos horários, todos os dias (mesmo nos finais de semana, sim, é isso mesmo!). Isso ajudará você a treinar o seu corpo a dormir melhor a noite. Adquira uma rotina antes do sono, como por exemplo, tomar um banho morno e ler durante uns 10 minutos alguma coisa agradável. Não, as mensagens do Facebook não servem. Em pouco tempo, esta rotina o ajudará a pegar no sono.

-Use o quarto apenas para dormir. Não, não cultive o hábito de comer, falar ao telefone, ver televisão ou usar o notebook enquanto estiver em sua cama, seu corpo poderá ficar mais descansado, mas seu cérebro também precisa de descanso.

– Mantenha o quarto escuro e silencioso na hora de dormir. Se o barulho for um problema, tente usar uma música calma e suave para mascarar o som ou até mesmo usar um tapa-ouvidos. Se houver necessidade de dormir durante o dia, use uma máscara nos olhos para que você se habitue à noite como ambiente ideal para dormir.

– Evite ou reduza a quantidade de cafeína (café, chá preto, refrigerantes e chocolate), remédios para resfriado, álcool e fumo.

– Exercite-se com mais frequência. Além de te manter em forma e com um corpo bacana, já se sabe que a atividade física regular ajuda a pessoa a ter um bom sono. Ah, mas não vá fazer exercícios faltando menos que 3 horas para dormir, por que nesse caso você só vai conseguir ficar mais agitado.

-Aprenda técnicas para reduzir o estresse do seu dia-a-dia (ioga, meditação), pois ajudam bastante, além de contribuir muito para sua qualidade de vida.

Remédios para dormir podem ajudar?

CUIDADO!!! Remédios para dormir podem ajudar algumas pessoas. Eles não são para uso por conta própria, nem devem ser tomados com frequência. Lembre-se, todo remédio tem contra-indicações, ele ajuda a resolver um problema, mas o uso prolongado pode causar outros, dependendo do caso até piores. Então, remédio somente quando um médico achar necessário, até porque há tantas soluções, mais práticas, saudáveis e gratuitas. Aliás, nenhum remédio é uma “cura” para a insônia, eles existem para ajudar um tratamento médico. O uso de remédios para dormir pode ser perigoso para pessoas com certos problemas no coração e particularmente para idosos.

_______________________________________________

Por Joyce Ariana Pessanha da Silva (bolsista Jovem Talento – Pré-Iniciação Científica – FAPERJ) / Orientador: Glaucio Aranha / Estudante do CIEP 178 João Saldanha (Belford Roxo – RJ)

Imagens cedidas, sob licença, por www.freedigitalphotos.net

Link permanente para este artigo: http://cienciasecognicao.org/neuroteen/?p=165

3 comentários

  1. Rafael

    obrigado por essas dicas, o seu artigo é muitp esclarecedor ,
    irei compartilhar pois acho que mais pessoas precisam ter acesse
    a esse site, muitissimo obrigado!

  2. Layla Fernandes

    ADOREI SUAS DICAS eu sofro muito com insonia mas tenho certeza que suas dicas vão me ajudar!

  3. Tarsso

    Olá, Meus parabéns pelo artigo! Realmente a insônia é um problema mundial, são 45% das pessoas que sofrem com este transtorno, no meu caso, nunca tive problemas com a insônia, talvez as vezes devido a preocupações, ansiedades, mas vejo que é um assunto bastante procurado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>