Motivação para aprender e interesse profissional de alunos do ensino médio

Autores

Palavras-chave:

estudantes, motivação., ensino médio, inclusão escolar, escola, interesse profissional

Resumo

Este estudo buscou identificar o perfil motivacional e de interesse profissional dos alunos do Ensino Médio, levantar possíveis diferenças e relações entre as variáveis e ainda verificar se a motivação intrínseca pode prever a área de escolha profissional. 524 alunos da rede pública estadual de ensino de Minas Gerais e Paraná responderam a dois instrumentos: uma escala de aconselhamento profissional e uma escala de continuum motivacional. Os resultados evidenciaram uma relação entre motivação intrínseca e a área de Ciências Biológicas/da Saúde. Observou-se que a motivação intrínseca pôde prever em cerca de 10% a área de escolha profissional dos estudantes na área Ciências Biológicas/da Saúde. Os dados são discutidos à luz das implicações psicoeducacionais e do aconselhamento de carreira, visando reduzir as dificuldades para a tomada de decisão profissional dos estudantes.

Biografia do Autor

Maria Luzia Silva Mariano, Universidade Estadual de Londrina

Mestre e Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Londrina. Graduada em Ciências Sociais e Pedagogia. Professora adjunta da Universidade Norte do Paraná – UNOPAR.

Katya Luciane de Oliveira, Universidade Estadual de Londrina

Mestre em Psicologia pelo Programa de Estudos de Pós-graduação Stricto-Sensu em Psicologia da Universidade São Francisco. Doutora em Psicologia, Desenvolvimento Humano e Educação pela Faculdade de Educação da Unicamp. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia ambos da Universidade Estadual de Londrina. Bolsista Produtividade Nível 2/CNPq

Francislaine Flâmia Inácio

Graduada em Psicologia pela Universidade Estadual de Londrina. Possui Aprimoramento em Psicologia Clínica Aplicada a Neurologia Infantil e Especialização em Neuropsicologia Aplicada a Neurologia Infantil ambos pela Universidade Estadual de Campinas. Mestre em Educação pelo Programa Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Londrina e membro da Comissão de Avaliação Psicológica junto ao CRP/PR subsede Londrina.

Amanda Lays Monteiro Inácio, Universidade São Francisco

Psicóloga. Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Londrina. Doutoranda do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu da Universidade São Francisco.

Referências

Ambiel, R. A. M., Ferraz, A. S., Simões, N., Silva, J., & Pereira, E. (2019). Predição da definição da escolha vocacional a partir de variáveis familiares. Avances en Psicología Latinoamericana 37(1), 89-101. http://dx.doi.org/10.12804/revistas.urosario.edu.co/apl/a.6193

Almeida, F. H. de, Melo-Silva, L. L., & Santos, M. A. dos. (2017). Grupo operativo com pais de jovens em processo de escolha da carreira. Revista SPAGESP, 18(1), 80-100.

Boruchovitch, E., Bzuneck, J. A., & Guimarães, S. É. R. (Org.). (2010). Motivação para aprender: Aplicações no contexto educativo. Petrópolis, RJ: Vozes.

Brasil, (2019). Base Nacional Comum Curricular Recuperado de http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase

Burak, D., & Martins, M. A. (2015). Modelagem Matemática nos anos iniciais da Educação Básica: uma discussão necessária. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, 8(1), 92-111.

Bzuneck, J. A (2009). A Motivação do Aluno: Aspectos Introdutórios. In E. Boruchovitch, & J. A. Bzuneck (Eds.), A motivação do aluno: Contribuições da psicologia contemporânea (pp. 9-36). Petrópolis, RJ: Vozes.

Bzuneck, J. A., & Boruchovitch, E. (2016). Motivação e Autorregulação da Motivação no Contexto Educativo. Psicologia: Ensino & Formação, 7(2), 73-84.

Campos, R. R. F. de, & Noronha, A. P. P. (2016). A relação entre indecisão profissional e otimismo disposicional em adolescentes. Temas em Psicologia, 24(1), 219-232.

Cohen, J. (1988). Statistical power analysis for the behavioral sciences. Hillsdale, NJ: Erlbaum.

Cunha, L. A. (2017). Ensino Médio: Atalho para o passado. Educação e Sociedade, 38(139), 373-384.

Deci, E. L., & Ryan, R. M. (2004). Handbook of selfdetermination research. Rochester, NY: Te University.

Ferreira, E. B., & Silva, M. R. (2017). Centralidade do ensino médio no contexto da nova “ordem e progresso”. Educação & Sociedade, 38(139), 287-292. http://dx.doi.org/10.1590/es0101-73302017179021

Guimarães, S. E. R. (2009). Motivação intrínseca, extrínseca e o uso de recompense em sala de aula. In E. Boruchovitch, & J. A. Bzuneck (Eds.), A motivação do aluno: Contribuições da psicologia contemporânea (pp. 37-57). Petrópolis, RJ: Vozes.

Grings, J. A., & Jung, C. F. (2017). Fatores que influenciam na escolha profissional e a importância da orientação vocacional e ocupacional. Revista Espacios, 38(15), 1-22.

Inácio, A. L. M. (2018). Estilos intelectuais, estratégias de aprendizagem, compreensão de leitura e desempenho escolar no ensino médio (Dissertação de mestrado não-publicada). Universidade Estadual de Londrina.

Leal, S., & Yung, T. (2015). Por uma sociologia do ensino de sociologia nas escolas: da finalidade atribuída à disciplina à experiência social do alunato. Estudos de caso no Distrito Federal. Sociedade e Estado, 30(3), 773-796. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-69922015.00030009

Liu, W. C., Wang, J. C. K., & Ryan, R. M. (2016). Understanding motivation in education: Theoretical and practical considerations. In W. C. Liu, J. C. K. Wang, & R. M. Ryan (Eds.), Building autonomous learners (pp. 1–7). Singapore: Springer.

Locatelli, A. C. D., Bzuneck, J. A., & Guimaraes, S. É. R. (2007). A motivação de adolescentes em relação com a perspectiva de tempo futuro. Psicologia Reflexão e Crítica, 20(2), 266-275.

Maieski, S.; Oliveira, K. L. de, & Bzuneck, J. A. (2013). Motivação para aprender: o autorrelato de professores brasileiros e chilenos. Psico-USF, 18(1), 53-64.

Mariano, M. L. S. (2015). A Sociologia no ensino médio e a difícil tarefa de mostrar a sua importância para os alunos. Colloquium Humanarum, 12(2), 27-33.

Mariano, M. L. S., & Inácio, A. L. M. (2017). A conclusão do ensino médio e a difícil tarefa de realizar a escolha profissional. Colloquium Humanarum, 14(Esp.), 72-78. http://dx.doi.org/10.5747/ch.2017.v14.nesp.000924

Mariano, M. L. S., Oliveira, K. L., & Inácio, A. L. M. (2019). Motivação no Ensino Médio: uma análise com professores e alunos. Argumentos Pró-Educação, 4(12), 1194-1213.

Minas Gerais. (2015). Secretaria de Estado de Educação. Resolução See Nº 2.742, de 22 de janeiro de 2015. Dispõe sobre o ensino médio nas escolas da rede pública estadual de Minas Gerais. Diário do Executivo [de] Minas Gerais, Belo Horizonte, 23 jan. 2015. p.09. Recuperado de: http://zip.net/bcsdZ2. Acesso em: 21 out. 2015.

Noronha, A. P. P., Sisto, F. F., & Santos, A. A. A. dos. (2007). Escala de Aconselhamento Profissional (EAP): Manual de Aplicação. São Paulo: Vetor.

Oliveira, M. F. C., Bzuneck, J. A., & Rufini, S. É. (2017). Motivação de adolescentes para leitura: estudo com a abordagem centrada na pessoa. Revista Psicologia da Educação, 45, 67-76.

Oliveira, K. L., Santos, A. A. A., & Inácio, A. L. M. (2018). Adaptação acadêmica e estilos intelectuais no ensino superior. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, 9(3), 73-89. http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2018v9n3suplp73

Pansera, S. M., Valentini, N. C., Souza, M. S. de., & Berleze, A. (2016). Motivação intrínseca e extrínseca: diferenças no sexo e na idade. Psicologia Escolar e Educacional, 20(2), 313-320.

Paraná. Secretária de estado da educação. (2012). Projeto Político Pedagógico.

Curitiba. Disponível em: <http://www.unidadepolo.com.br/educadores/projeto_politico_pedagogico.pdf>. Acesso em: 21 out. 2019.

Porto, A. M. S., & Soares, A. B. (2017). Diferenças entre expectativas e adaptação acadêmica de universitários de diversas áreas do conhecimento. Análise Psicológica, 34(1), 13-24. http://dx.doi.org/10.14417/ap.1170

Resende, G., & Mesquita, M. da G. B. F. (2013). Principais dificuldades percebidas no processo ensino-aprendizagem de matemática em escolas do município de Divinópolis, MG. Educação Matemática Pesquisa, 15(1), 199-222.

Rufini, S. É. R., Bzuneck, J. A., & Oliveira, K. L. de. (2011). Estudo de validação de uma medida de avaliação da motivação para alunos do ensino fundamental. Psico-USF, 16(1), 1-9.

Ryan, R., & Deci, E. L. (2000). Self-determination theory and the facilitation of intrinsic motivation, social development, and wellbeing. American Psychologist, 55(1), 68-78.

Ryan, R. M., & Deci, E. L. (2017). Self-determination theory: Basic psychological needs in motivation, development, and wellness. Guilford Publications.

Sawitri, D. R., & Creed, P. A. (2015). Perceived career congruence between adolescents and their parents as a moderator between goal orientation and career aspirations. Personality and Individual Differences, 81, 29-34. http://dx.doi.org/10.1016/j.paid.2014.12.061.

Publicado

2021-12-31

Como Citar

Mariano, M. L. S., Oliveira, K. L. de, Inácio, F. F., & Inácio, A. L. M. (2021). Motivação para aprender e interesse profissional de alunos do ensino médio. Ciências & Cognição, 26(2). Recuperado de http://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1677

Edição

Seção

Artigos Científicos / Scientific Articles