O impacto das atividades cognitivas no desempenho no Mini-Mental de idosos octogenários de São João del Rei/MG

um estudo piloto

Autores

  • Sergio Rocha UFSJ
  • Elisangela Naves Vivas Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ)

Palavras-chave:

Cognição; reserva cognitiva; estimulação cognitiva; Mini-Mental.

Resumo

O aumento da população idosa mundial em torno de 600% nos últimos 50 anos trouxe vários desafios. O principal é a adoção de políticas que possam oferecer um envelhecimento saudável, preservando a autonomia dos sujeitos. Entre essas estratégias, a estimulação cognitiva é uma que possui baixo custo operacional e pode otimizar as funções que ainda se encontram preservadas. O objetivo desse estudo piloto retrospectivo foi avaliar o impacto protetivo das práticas de estimulação cognitiva em octogenários da cidade de São João del Rei. Para tanto foram aplicados dois instrumentos de avaliação: o Mini-Mental e um Questionário de Práticas Cognitivas. Os resultados preliminares indicam uma tendência de as práticas cognitivas impactarem positivamente no desempenho no Mini-Mental dos octogenários (p<0.01). Tais resultados têm implicações diretas, sobretudo nas estratégias de baixo custo a serem implementadas com o objetivo de se construírem reservas cognitivas na população recém adentrada na 3ª idade, visando uma maior autonomia na 4ª idade.

Referências

Apóstolo, J. L. A.; Cardoso, D. F. B.; Rosa, A. I. & Paúl, C. (2014). The effect of cognitive stimulation on nursing home elders: a randomized controlled trial. Journal of Nursing Scholarship, 46(3), 157–166.

Beard, J. R.; Bloom, D. E. (2015). Towards a Comprehensive Public Health Response to Population Ageing. Lancet, 385(9968), 658-61.

Bloom, D. E.; Chatterji, S.; Kowal, P.; Lloyd-Sherlock, P.; McKee, M.; Rechel, B.; Rosenberg, L. & Smith, J. P. (2015). Macroeconomic implications of population ageing and selected policy responses. Lancet, 385(9968), 649-57.

Camarano, A. A.; Kanso, S. & Fernandes, D. (2013). Envelhecimento populacional, perda de Capacidade laborativa e políticas públicas. Mercado de Trabalho, 54, 21-9.

Duarte Miranda, G. M.; Gouveia Mendes, A. C. & Andrade da Silva, A. L. (2016). O envelhecimento populacional brasileiro: desafios e consequências sociais atuais e futuras. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 19(3), 507-19.

Eckroth-Bucher, M. & Siberski, J. (2009). Preserving cognition through an integrated cognitive stimulation and training program. American Journal of Alzheimer’s Disease & Other Dementias, 24(3), 234-245.

Hall, L.; Orrell, M.; Stott, J. & Spector, A. (2013). Cognitive stimulation therapy (CST): neuropsychological mechanisms of change. International Psychogeriatrics, 25(3), 479–489.

Keevil, V. L. & Romero-Ortuno, R. (2015). Ageing well: a review of sarcopenia and frailty. Proceedings of the Nutrition Society, 74, 337-47.

Kelly, M. E.; Loughrey, D.; Lawlor, B. A.; Robertson, I. H.; Walsh, C. & Brennen, S. (2014). The impact of cognitive training and mental stimulation on cognitive and everyday functioning of healthy older adults: A systematic review and meta-analysis. Ageing Research Reviews, 15, 28-43.

Küchemann, B. A. (2012). Envelhecimento populacional, cuidado e cidadania: velhos dilemas e novos desafios. Revista Sociedade e Estado, 27(1), 165-180.

La Rue, A. (2010). Healthy brain aging: role of cognitive reserve, cognitive stimulation, and cognitive exercises. Clin Geriatr Méd, 26, 99-111.

Mapelli, D.; Di Rosa, E.; Nocita, R. & Sava, D. (2013). Cognitive stimulation in patients with dementia: randomized controlled trial. Dement Geriatr Cogn Disord, 3, 263-271.

Melo, D. M.; Barbosa, A. J. G. (2015). O uso do Mini-Exame do Estado Mental em pesquisas com idosos no Brasil: uma revisão sistemática. Ciência & Saúde Coletiva, 20(12), 3865-3876.

Mendes, J. L. V.; DA SILVA, S. C.; DA SILVA, G. R. & SANTOS, N. A. R. (2018). O Aumento da População Idosa no Brasil e o Envelhecimento nas Últimas Décadas: Uma Revisão da Literatura. Revista de Educação, Meio Ambiente e Saúde, 8(1), 13-26.

Nijstad, B. A.; Stroebe, W. & Lodewijkx, H. F. M. (2002). Cognitive stimulation and interference in groups: Exposure effects in an idea generation task. Journal of Experimental Social Psychology, 38, 535-544.

Saad, P. M. (2016). Envelhecimento Populacional: Demandas e Possibilidades na Área de Saúde. DEMOGRAPHICAS, [s.v.], 153-166.

Tardif, S. & Simard, M. (2011). Cognitive Stimulation Programs in Healthy Elderly: A Review. International Journal of Alzheimer’s Disease, [s.v.], 1-13.

Publicado

2021-12-31

Como Citar

Rocha, S., & Vivas, E. N. (2021). O impacto das atividades cognitivas no desempenho no Mini-Mental de idosos octogenários de São João del Rei/MG: um estudo piloto. Ciências & Cognição, 26(2). Recuperado de http://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1753

Edição

Seção

Artigos Científicos / Scientific Articles