A NEURODEVELOPMENTAL MODEL FOR THE ORIGIN OF DEPRESSION AMONGST PEOPLE LIVING WITH HIV: CONVERGENCE OF SOCIAL AND NEUROIMMUNOLOGICAL MECHANISMS

Autores

  • Elisabete Castelon Konkiewitz Universidade Federal da Grande Dourados
  • Cândida Aparecida Leite Kassuya Universidade Federal da Grande Dourados
  • Edward Benjamin Ziff New York University - NYU Langone Medical Center

Palavras-chave:

HIV, depression, AIDS, stigma, neuroinflammation, neurodevelopment

Resumo

Abstract

Depression is a major challenge facing people living with HIV (PLHIV), with prevalence rates ranging from 25-36%. Depression impacts negatively upon adherence and response to combined antiretroviral therapy (CART) and the transmission of HIV infection through increased sexually risky behavior. This article proposes a neurodevelopmental model of depression, which tries to integrate the interplay between psychosocial adversity and HIV related- stigma, on one hand, and HIV associated neuroinflammation, on the other hand, in the etiology of depression amongst PLHIV.  We conclude that PLHIV should be provided an individualized treatment program that develops strategies including personal empowerment for coping with, and overcoming, psychosocial adversity. Further, neurobiological studies should be vigorously pursued to understand the neuroplastic changes leading to depression in PLHIV and to identify biomarkers of depression to be employed for clinical diagnosis, treatment follow-up and investigational purposes.

 

Keywords

HIV; depression; AIDS; stigma; neuroinflammation; neurodevelopment

 

Resumo

A depressão é um grande desafio para as pessoas que vivem com o HIV (PVHIV) com taxas de prevalência entre 25-36%. A depressão tem um impacto negativo sobre a aderência e a resposta à terapia antirretroviral (CART) e a transmissão da infecção pelo HIV, devido ao aumento do comportamento sexual de risco. Este artigo propõe um modelo neurodesenvolvimentista da depressão, que tenta integrar a interação entre adversidade psicossocial e estigma relacionado ao HIV, por um lado, e a neuroinflamação associada ao HIV, por outro, na etiologia da depressão entre as PVHIV. Nós concluímos que as PVHIV deveriam receber um programa de tratamento individualizado que desenvolvesse estratégias de empoderamento para o enfrentamento e a superação da adversidade psicossocial. Ademais, estudos neurobiológicos deveriam ser vigorosamente incentivados, visando compreender as mudanças neuroplásticas que levam à depressão nas PVHIV e identificar biomarcadores de depressão, aplicáveis para fins de diagnóstico e de acompanhamento clínicos, assim como para fins de pesquisa.

Palavras-Chave

HIV; depressão; AIDS; estigma; neuroinflamação; neurodesenvolvimento.

Biografia do Autor

Elisabete Castelon Konkiewitz, Universidade Federal da Grande Dourados

Médica graduada na UNIFESP em 1993, com título de especilista em psiquiatria e em neurologia; doutora em Neurologia pela Technische Universität München em 2002; professora adjunta da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Grande Dourados desde 2008; interesse nas área de neurocognição, em especial transtornos do comportamento e do aprendizado na infância e na adolescência.

 

Cândida Aparecida Leite Kassuya, Universidade Federal da Grande Dourados

é graduada em Farmácia pela Universidade Estadual de Maringá, com especialização pela Universidade Estadual de Maringá, mestrado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, doutorado em Farmacologia pela Universidade Federal de Santa Catarina e pós-doutorado pela Universidade Federal do Paraná. Tem experiência na área de Estudo anti-inflamatório, analgésico e antidepressivo de doenças crônicas e controle farmacológico através de plantas medicinais, além da realização de análise toxicológica in vivo e in vitro de produtos de plantas medicinais. Atualmente é professor adjunto (Farmacologia e Fitoterapia) da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Coordenadora e docente permanente do Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde/UFGD em nível de mestrado e doutorado. Orientou 9 dissertações mestrado e 19 alunos de iniciação científica, co-orientou 13 alunos de mestrado e 1 de doutorado e está orientando atualmente 1 supervisão de pós-doutorado, 4 alunos de doutorado e 3 de mestrado.

Edward Benjamin Ziff, New York University - NYU Langone Medical Center

Graduado em Química pelo Columbia College, C.C., Doutorado em bioquímica pela Princeton University, PRINCETON, Estados Unidos, pós doutorado pela  Princeton University (1969) e pelo MRC Laboratory of Molecular BIology. Tem experiência na área de Biologia Geral, com ênfase em Neurobiologia, atuando principalmente nos seguintes temas: ampa receptor, receptor trafficking, postsynaptic density, hippocampus e protein kinase. É professor visitante da Faculdade de Ciências Médicas e da Saíde da Univesidade Federal da Grande Dourados.

Publicado

2015-04-30

Como Citar

Konkiewitz, E. C., Kassuya, C. A. L., & Ziff, E. B. (2015). A NEURODEVELOPMENTAL MODEL FOR THE ORIGIN OF DEPRESSION AMONGST PEOPLE LIVING WITH HIV: CONVERGENCE OF SOCIAL AND NEUROIMMUNOLOGICAL MECHANISMS. Ciências & Cognição, 20(1). Recuperado de https://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1058

Edição

Seção

Neurociências / Ciências da Saúde / Ciências Cognitivas