O uso de mapas conceituais e curtas metragens de temática Química no estudo de temas da Sociologia

Autores

  • Erinaldo Ferreira do Carmo Universidade Federal de Pernambuco, Colégio de Aplicação
  • André Luiz Ferreira Dantas de Melo Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco, Escola de Referências em Ensino Médio Alberto Tôrres
  • Lindomar Avelino da Silva
  • Kátia Aparecida da Silva Aquino Universidade Federal de Pernambuco, Colégio de Aplicação

Palavras-chave:

aprendizagem significativa, interdisciplinaridade, produção audiovisual, ensino de ciências, ensino de ciências sociais

Resumo

O objetivo deste estudo interdisciplinar foi usar curtas metragens produzidos por estudantes do ensino médio sobre temas da Química para o ensino de Sociologia. Neste sentido, foram produzidos mapas conceituais pelos estudantes, após a discussão dos curtas metragens, sob uma perspectiva sociológica. Nossos resultados mostram que os mapas conceituais podem atuar como instrumentos facilitadores para a aprendizagem, capazes de estimular a pesquisa e promover a autonomia dos estudantes durante o processo de construção do conhecimento.

Biografia do Autor

Erinaldo Ferreira do Carmo, Universidade Federal de Pernambuco, Colégio de Aplicação

E. F. Carmo é graduado em Ciências Sociais pela UFPE, Mestre e doutor em Ciência Política pela UFPE.Atua como docente de Sociologia no Colégio de Aplicação da UFPE,

André Luiz Ferreira Dantas de Melo, Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco, Escola de Referências em Ensino Médio Alberto Tôrres

A. L. F. Melo é graduado em licenciatura em Biologia pela UFRPE, mestrando no Programa de Pós-Graduação em Rede Nacional para o Ensino de Ciências Ambientais – ProfCiAmb UFPE. Atua como docente de Biologia na Escola de Referências em Ensino Médio Alberto Tôrres da Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco

Lindomar Avelino da Silva

L. A. Silva é graduada em Licenciatura em Química pela UFRPE, é mestre em Tecnologias Energéticas e Nucleares pela UFPE, é doutoranda no Programa de Tecnologias Energéticas e Nucleares pela UFPE. Atua como docente de Química no Instituto Federal de Pernambuco-Campus Barreiros

Kátia Aparecida da Silva Aquino, Universidade Federal de Pernambuco, Colégio de Aplicação

K. A. S. Aquino é graduada em Licenciatura em Química pela UFRPE, é mestre e doutora em Tecnologias Energéticas e Nucleares pela UFPE e possui pós doutorado em Tecnologias na Educação pela UFPE. Lider do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Aprendizagem Significativa-GEPAS/CNPq. Atua como professora de Química no Colégio de Aplicação da UFPE.

 

Referências

Andrade, G.; Ferreira, G.; Carmo, E. (2017). Entre pretores, repórteres e acadêmicos: a abordagem do tema corrupção nas revistas de ciência política. Revista Espaço Público, 1 (1) 31-42.

Aquino, K.; Cavalcante, P. (2017). Análise da construção de conhecimento significativo utilizando a produção de curtas metragens no ensino de química orgânica. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 16 (1), 117-131.

Aranha, G. (2006). Jogos Eletrônicos como um conceito chave para o desenvolvimento de aplicações imersivas e interativas para o aprendizado. Ciências & Cognição, vol. 7.

Aranha, G. (2011). O processo de consolidação dos jogos eletrônicos como instrumento de comunicação e de construção de conhecimento. Ciências & Cognição, 3, 21-62.Ausubel, D. (2003). Aquisição e retenção de conhecimento: uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Plátano Edições Técnicas.

Brasil, Ministério da Educação (2018). Base Nacional Comum Curricular. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf

Fernandes, A.M.M. (2018). Interdisciplinaridade no ensino e aprendizagem: novas perspectivas e desafios na atualidade. Id on Line Revista Multidisciplinar e de Psicologia, 12 (40), 101-115.

Holtfreter, K. (2005). Is occupational fraud “typical” white-collar crime? A comparison of individual and organizational characteristics. Journal of Criminal Justice, 33 (4), 353-365.

Levi, M. (2008). Organized fraud and organizing frauds Unpacking research on networks and organization. Criminology and Criminal Justice, 8 (4), 389-419.

Lima, R.; Aquino, K.; Firme, R. (2018). Percepção, conhecimento e linguagem: contribuições da argumentação para construção de uma aprendizagem significativa crítica. Cadernos de Estudos e Pesquisa na Educação Básica, 4 (1), 408-424.

Maragno, L.; Borba, J. (2017). Mapa conceitual da fraude: configuração teórica e empírica dos estudos internacionais e oportunidades de pesquisas futuras. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, 11, 41-68.

Moreira, M. (2012) Mapas conceituais e aprendizagem significativa. Material de apoio, Instituto de Física, UFRG. Disponível em www.if.ufrgs.br/~moreira/mapasport.pdf

Napolitano, M. (2006). Como usar o cinema na sala de aula. São Paulo: Contexto.

Novak, D.; Gowin, B. (1996). Aprender a aprender. Lisboa: Plátano Edições Técnicas.

Reed, G.; Yeager, P. (1996). Organizational offending and neoclassical criminology: Challenging the reach of a general theory of crime. Criminology, 34 (3), 357-382.

Schuchter, A; Levi, M. (2016). The fraud triangle revisited. Security Journal, 29 (2), 107-121.

Tavares, R. (2007). Construindo mapas conceituais. Ciências & Cognição, 12, 72-85. Disponível em 4http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/641

Vekiri, I. (2002). What is the value of graphical displays in learning? Psychology Review, 14 (3), 261-312.

Publicado

2021-08-30

Como Citar

Carmo, E. F. do, Melo, A. L. F. D. de, Silva, L. A. da, & Aquino, K. A. da S. (2021). O uso de mapas conceituais e curtas metragens de temática Química no estudo de temas da Sociologia. Ciências & Cognição, 26(1). Recuperado de https://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1621

Edição

Seção

Artigos Científicos / Scientific Articles