EMOÇÃO E AFETIVIDADE NA FENOMENOLOGIA E NAS CIÊNCIAS COGNITIVAS: UMA COMPREENSÃO A PARTIR DA FENOMENOLOGIA DE DIETRICH VON HILDEBRAND E NATALIE DEPRAZ

Autores

  • Marília Zampieri da Silva Universidade Federal de Uberlândia
  • Tommy Akira Goto Universidade Federal de Uberlândia

Palavras-chave:

cognição, naturalização da fenomenologia, naturalização, sentimentos, valores, método fenomenológico

Resumo

Este artigo tem por objetivo explanar sobre o fenômeno da emoção e da afetividade na Fenomenologia e nas Ciências Cognitivas, de modo a destacar alguns aspectos convergentes e divergentes entre ambas. Nas ciências cognitivas, a emoção é uma função psicofísica, passível de apreensão por uma avaliação cognitiva, embasada em uma análise feita pelo indivíduo sobre determinado evento experienciado. Nas análises fenomenológicas, a emoção também possui base cognitiva, mas descritas por outras bases, tais como: as crenças, suposições, percepções ou fantasias perceptivas. No intuito de exemplificar cada uma dessas duas áreas, trazemos as contribuições de Dietrich von Hildebrand, que investiga a afetividade a partir do conceito husserliano de intencionalidade, evidenciando a estrutura essencial dos afetos em sua resposta afetiva; e de Natalie Depraz, contemporânea das recentes descobertas sobre mente, cérebro e consciência, em cuja análise sobre as emoções, constrói uma articulação entre o físico e o psíquico, destacando as implicações da intencionalidade. A partir desse panorama, apresentamos o conceito de emoção para cada autor e apontamos os pontos de convergências, em eco à ideia de que a melhor contribuição científica reside nas passagens e diálogos epistemológicos.

Biografia do Autor

Marília Zampieri da Silva, Universidade Federal de Uberlândia

Pós graduanda em Psicologia da Universidade Federal de Uberlândia

Tommy Akira Goto, Universidade Federal de Uberlândia

Professor do Programa de Pós-Graduação em Psicologia e do Programa de Pós-graduação em Filosofia da Universidade Federal de Uberlândia

Referências

Albuquerque, P.B. & Santos, J.A. (2000). Memória para acontecimentos emocionais: contributos da psicologia cognitiva experimental. Revista Portuguesa de Psicossomática, v.2, n.2, p. 21-33. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/287/28720203.pdf.

Aranha, G. (2020) Transmidialidade e cognição em contexto educacional. Ciências & Cognição, v. 24, n. 2. Disponível em http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1656

Bechara, A. (2003). O papel positivo da emoção na cognição. (cap. 10, pp. 191-214). In: V.A. Arantes (org.) Afetividade na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus.

Brentano, F. (1874/1935). Psicología desde un punto de vista empírico. Madrid: Revista de Occidente.

Brentano, F. (1889/2002). El origem del conocimiento moral. Madrid: Tecnos.

Clavisso, V. (2008). Algumas ideias sobre a Fenomenologia de hoje: Filosofia da Mente e Ciências Cognitivas. Anal do XV Congresso de Filosofia contemporânea da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Fenomenologia da Vida, v. 15, p. 345-360.

Costa, I.I; Goto, T.A.; Schievano, B.A. (2019). Vivências psicológicas de homens que buscam profissionais do sexo. Uma proposta de análise psicológico-fenomenológico. Revista de Psicologia, v.10, n.1, p.90-104. Disponível em: htp://www.periodicos.ufc.br/psicologiaufc/article/view/33703

Depraz, N. (2012). Delimitación de la emoción: acercamiento a una fenomenología del corazón. Investigaciones fenomenológicas, Madrid, v. 9, p. 39-68.

Díaz, R. (2012). El ámbito de la afectividad humana en el pensamiento filosófico de Dietrich von Hildebrand. Actas del V Coloquio Latinoamericano de Fenomenología Lima. Pontificia Universidad Católica del Perú, v.4, p. 163-181.

Ferran, Í.V. (2015). The emotions in Early Phenomenology. Studia Phaenomenologica, v.15, p. 329-354.

Goto, T.A.; Moraes, M.A.B. (2018). O problema mente-corpo e a questão da naturalização da Fenomenologia. ECOS (Estudos Contemporâneos da Subjetividade). v.8, n.2, p. 194-208.

Goto, T.A.; Paula, Y.A. (2017). As vivências afetivas na Fenomenologia de Edmund Husserl: contribuições à Psicologia. Dissertação. Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/19770.

Hildebrand, D. von. (1973/2016). What is Philosophy? Chicago: Franciscan Herald.

Hildebrand, D. von. (2000) ¿Que és filosofia? Madrid: Ediciones Encuentro.

Hildebrand, D. von. (1996/2014). Las formas espirituais de la afectividade. Trad. Juan Miguel Palacios. Excerpta Philosophica 19, Madrid: Facultad de Filosofía de la Universidad Complutense.

Husserl, E. (1900-01/2012). Investigações Lógicas. Segundo volume, parte I, Investigações para uma fenomenologia e a teoria do conhecimento. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

James, W. (1884/2013). What is an emotion? Mind, n. 9, p. 188-205. Disponível em: https://psychclassics.yorku.ca/James/emotion.htm

Lecointre, M.R. (2007). Emoção e cognição: uma abordagem científica das emoções. Filosofia e História da Biologia, v. 2, p. 337-349. Disponível: http://www.abfhib.org/FHB/FHB-02/FHB-v02-20-Marisa-Russo.pdf

Maturana, H. (2001). Cognição, ciência e vida cotidiana. Minas Gerais: UFMG.

Rocha, J.M; Kastrup, V. (2009). Cognição e emoção na dinâmica da dobra afetiva. Psicologia em Estudo. Maringá, v. 14, n. 2, p. 385-394.

Roy, D.; Patel, R.; DeCamp, P.; Kubat, R.; Fleischman, M.; Roy, B.; Mavridis, N.; Tellex, S.; Salata, A.; Guinness, J.; Levit, M.; Gorniak, P. (2006). The human speechome project. In Proceedings of the 28th Annual Cognitive Science Conference. Mahwah, NJ: Lawrence Earlbaum, p. 2059-2064.

Smith, D.W.; Thomasson, A. L. (2005). Phonomenology and philosophy of mind. Oxford: Oxford University Press, p. 93-114.

Spiegelberg, H. (1965). The Phenomenological Movement: a historical introduction. Boston: Martinus Nihjhoff.

Sánchez-Migallón, S. (2003). El personalismo ético de Ditrich von Hildebrand. Madrid: Ediciones Rialp.

Stein, E. (1917/2004). El problema de la empatia. Madrid: Trotta.

Varela, F.J; Thompson, E. & Rosch, E. (1997). De cuerpo presente. Las ciencias cognitivas y la experiencia humana. Barcelona: Gedisa.

Publicado

2020-12-13

Como Citar

da Silva, M. Z., & Goto, T. A. (2020). EMOÇÃO E AFETIVIDADE NA FENOMENOLOGIA E NAS CIÊNCIAS COGNITIVAS: UMA COMPREENSÃO A PARTIR DA FENOMENOLOGIA DE DIETRICH VON HILDEBRAND E NATALIE DEPRAZ. Ciências & Cognição, 25(1), 82-98. Recuperado de https://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1643

Edição

Seção

Artigos Científicos / Scientific Articles