Ciências & Cognição https://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec <p>O periódico <em><strong><a href="http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/index" target="_blank" rel="noopener">Ciências &amp; Cognição</a></strong></em> (<em>Cien. Cogn</em>.) é a publicação científica oficial da <em>Organização Ciências e Cognição</em> (OCC) e do <em>Núcleo de Divulgação Científica e Ensino de Neurociência</em> (NuDCEN, da UFRJ). Seu foco é o estudo da cognição e seus processos, a partir do olhar interdisciplinar estabelecendo um diálogo acadêmico entre as chamadas Ciências Cognitivas. Possui <strong>índice h5 = 5; Mediana h5 = 5</strong><strong> </strong>(https://goo.gl/fvdgn3). </p> <p>Na versão preliminar da <strong>nova tabela de qualificação da Qualis</strong> para periódicos científicos, está prevista a qualificação <strong>A4</strong> para a revista <strong>Ciências &amp; Cognição</strong>.</p> <p>No<strong> QUALIS 2013-2016</strong>, <em>Ciências &amp; Cognição</em> está presente na avaliação de vários comitês, reforçando seu caráter interdisciplinar. As maiores avaliações são <strong>B1</strong> em Linguística/Literatura, Ciências Ambientais, Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo;<strong> B2 </strong>em Interdisciplinar, Psicologia, Educação, Ensino, Arquitetura, Urbanismo e Design;<strong> B3</strong> em Filosofia, Enfermagem; <strong>B4 </strong>em Saúde Coletiva, e Medicina II; <strong>B5</strong> em Biotecnologia, Nutrição, Engenharias II, Engenharias III, Ciência da Camputação, Química, <strong>C</strong> em Medicina I, Ciências Biológicas I, e Ciências Biológicas II. </p> <p> </p> Organização Ciências e Cognição (OCC) pt-BR Ciências & Cognição 1806-5821 <p>O(s) autor(es) abaixo assinado(s) transfere(m) à Organização Ciências e Cognição, instituição responsável pela revista Ciências &amp; Cognição (ISSN 1806-5821), todos os direitos de publicação, produção e divulgação, com exclusividade e sem ônus, do material do manuscrito submetido, extensível a versões em outras mídias de comunicação e divulgação (site, redes sociais, vídeos, em meio impresso, digital, áudio/podcast e audiovisual (integral ou parcialmente), buscando, dentro das possibilidades dar a maior visibilidade possível ao material submetido e aprovado, objeto da presente seção de direitos.</p> <p>Declara(m) e garante(m) que:<br />- os procedimentos éticos referentes a um trabalho científico foram atendidos;<br />- no caso de estudo com humanos, foi conduzido conforme os princípios da Declaração de Helsinki e de suas emendas, com o consentimento informado aprovado por Comitê de Ética devidamente credenciado e com a Resolução 1595/2000, do CFM*;<br />- a responsabilidade pela informações e pelo conteúdo são do(s) autor(es).</p> EXPERIENCIA CERCANA A LA MUERTE: UN ANÁLISIS AUSPICIOSO https://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1558 <p>Experiencia cercana a la muerte ocurre en una situación extrema, durante o muy próxima a la muerte clínica. Sus teorías son basadas en la neurofisiología, en la psicología, en la religión y en la filosofía. El objetivo principal comprenderá las distintas percepciones interculturales sobre la experiencia cercana a la muerte, porque, si el cerebro para de funcionar, no debería haber conciencia, vida mental y ni memoria. Si existe experiencia cercana a la muerte, ¿cómo y por qué ocurre? El diseño de investigación es no experimental, de tipo descriptivo con un enfoque multimodal. La muestra se dió por conveniencia, con once entrevistas, a través de entrevistas personales y cuestionarios online. El análisis de los resultados fue hecho por el análisis de contenido de Bardin. Contiene cuatro ejes, ocho categorías y veintidós subcategorías. En la cual se percibió la gran necesidad de incentivar mayores investigaciones para consubstanciar y refutar algunas hipótesis.</p> Cibelle Moraes Leite Galli Isabelle Soares Juliana Ailen Staibano de Saravia Maria Angélica Mariussi Milena Ferreira dos Santos Wagner Cardoso Galli Vieira Copyright (c) 2020 Organização Ciências e Cognição (OCC) 2020-12-13 2020-12-13 25 1 15 29 FADIGA MENTAL OCASIONADA POR TAREFA COGNITIVA DE IMAGÉTICA MOTORA: ANÁLISE SISTEMÁTICA https://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1634 <p>O objetivo geral deste estudo é analisar, por meio da revisão sistemática da literatura, os efeitos da fadiga mental provocada por uma tarefa cognitiva de imagética motora. Para a análise literária, foram utilizados os bancos de dados eletrônicos: Public Medline (PubMed), Scientific Electronic Library Online (Scielo) e Scopus. Foram analisados estudos experimentais, realizados em humanos, nos idiomas português e inglês, publicados de 2004 a 2019. As palavras chaves utilizadas foram: <em>motor imagery</em> / imagética motora, <em>sustained attention</em> / atenção sustentada e <em>mental fadigue</em> / fadiga mental. A tarefa de Imagética Motora (IM) é definida como uma execução mental do movimento do corpo, entretanto, sem nenhuma saída motora. Alguns autores sugerem que o indivíduo começaria a desenvolver fadiga acima de 60 trilhas de imagética motora. Dessa forma, pode comprometer os resultados de protocolos terapêuticos e/ou desportivos, além de desempenhar um risco eminente de problemas de saúde, como é o caso das doenças cardiovasculares, epiléticas e Karoshi (morte por excesso de trabalho). Sendo assim, em tarefas mais prolongadas, a fadiga mental diminui o desempenho na tarefa e aumenta o tempo para a sua execução. Portanto, conclui-se que o tempo da tarefa cognitiva interfere no tempo de reação devido a fadiga mental provocado pela tarefa cognitiva de atenção sustentada.</p> Samaritana Barros do Nascimento Heloisa Marques Copyright (c) 2020 Ciências & Cognição 2020-12-13 2020-12-13 25 1 30 42 NEUROSCIENCE ROLE IN THE FOREIGN LANGUAGE TEACHING AND LEARNING https://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1770 <p><strong>ABSTRACT</strong></p> <p>This paper intends to establish a connection between neuroscience and the teaching and learning of a foreign language. It starts with an introduction of the subject, proceeding to an overview of the brain areas related to language, the conceptualizations of neuroplasticity and the different concepts of the critical period and sensitive period hypothesis. Then, the contributions of neuroscience has made in the language teaching and learning field will be analyzed, as well as how these contributions can be adapted and applied to a foreign language classroom. It was concluded that neuroscience might be able to support the teacher’s methodologies in order to improve his/her techniques and facilitate students’ learning.</p> <p><strong>RESUMO</strong></p> <p><strong>O PAPEL DA NEUROCIÊNCIA NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA</strong></p> <p>Este artigo pretende estabelecer uma conexão entre a neurociência e o ensino e aprendizagem de uma língua estrangeira; começando por uma introdução do assunto; em seguida apresentando uma visão geral de quais áreas do cérebro estão relacionadas à linguagem, as conceituações da neuroplasticidade e os diferentes conceitos da hipótese do período crítico e sensível. Após, é realizada uma análise de quais contribuições a neurociência fez no campo de ensino e aprendizagem de línguas, bem como de que modo essas contribuições podem ser adaptadas e aplicadas em uma sala de aula de língua estrangeira.. Concluiu-se que a neurociência pode ser capaz de apoiar as metodologias do professor, a fim de melhorar suas técnicas e facilitar o aprendizado dos alunos.</p> Igor Filipini Cearon Heloísa Pedroso de Moraes Feltes Copyright (c) 2020 Ciências & Cognição 2020-12-13 2020-12-13 25 1 43 60 EARLY CHILDHOOD ABUSE: ADULT IMPULSIVITY AND RISKY BEHAVIOR https://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1641 <p>We review the role of childhood abuse (CA) in the practice of impulsive, risk-taking behaviors during adulthood. CA deregulates the adult response to stress, which in turn disrupts the prefrontal-striatal systems that provide executive control over reward-related behavior. The result is impulsivity and risk-taking, including self-medication with drugs and alcohol and the practice of unsafe sex. These behaviors decrease quality of life and impair the attainment of long-term goals. Risky sexual behavior, in particular, increases the chance of HIV infection and perpetuates the epidemic.</p> Elisabete Castelon Konkiewitz Soraya Seedat Edward Ziff Copyright (c) 2020 Ciências & Cognição 2020-12-13 2020-12-13 25 1 61 81 EMOÇÃO E AFETIVIDADE NA FENOMENOLOGIA E NAS CIÊNCIAS COGNITIVAS: UMA COMPREENSÃO A PARTIR DA FENOMENOLOGIA DE DIETRICH VON HILDEBRAND E NATALIE DEPRAZ https://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1643 <p>Este artigo tem por objetivo explanar sobre o fenômeno da emoção e da afetividade na Fenomenologia e nas Ciências Cognitivas, de modo a destacar alguns aspectos convergentes e divergentes entre ambas. Nas ciências cognitivas, a emoção é uma função psicofísica, passível de apreensão por uma avaliação cognitiva, embasada em uma análise feita pelo indivíduo sobre determinado evento experienciado. Nas análises fenomenológicas, a emoção também possui base cognitiva, mas descritas por outras bases, tais como: as crenças, suposições, percepções ou fantasias perceptivas. No intuito de exemplificar cada uma dessas duas áreas, trazemos as contribuições de Dietrich von Hildebrand, que investiga a afetividade a partir do conceito husserliano de intencionalidade, evidenciando a estrutura essencial dos afetos em sua resposta afetiva; e de Natalie Depraz, contemporânea das recentes descobertas sobre mente, cérebro e consciência, em cuja análise sobre as emoções, constrói uma articulação entre o físico e o psíquico, destacando as implicações da intencionalidade. A partir desse panorama, apresentamos o conceito de emoção para cada autor e apontamos os pontos de convergências, em eco à ideia de que a melhor contribuição científica reside nas passagens e diálogos epistemológicos.</p> Marília Zampieri da Silva Tommy Akira Goto Copyright (c) 2020 Ciências & Cognição 2020-12-13 2020-12-13 25 1 82 98 ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DE RISCO DOS ESTUDANTES PARTICIPANTES DO PROJETO AGENTE MIRIM DE DEFESA CIVIL https://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1654 <p>A Defesa Civil (DC) de Blumenau, em Santa Catarina, na Bacia Hidrográfica do Rio Itajaí (BHRI) realiza ações de educação ambiental para Gestão de Risco de Desastres (GRD) por meio de projetos, dentre eles o Agente Mirim de Defesa Civil (AMDC). O objetivo dessa pesquisa foi analisar como o projeto AMDC subsidia a implementação da Lei Federal n<sup>o</sup>. 12.608/2012, por meio da análise da percepção de risco dos estudantes durante sua participação. Para isso, foram utilizadas cinco ferramentas aplicadas em sete momentos no decorrer do ano letivo de 2016. Os resultados revelam que os estudantes ao ingressarem no projeto, trazem consigo conceitos básicos sobre ações de defesa civil e constroem novos conhecimentos sobre riscos de desastres. Conclui-se que as práticas educativas empregadas no projeto AMDC possibilitam a construção de conhecimentos, procedimentos e atitudes, capacitando os estudantes nos processos de prevenção, mitigação e preparação frentes aos riscos de desastres conforme enfatizado pela Lei Federal n<sup>o</sup>. 12.608/2012.</p> Jefferson Ribeiro Rafaela Vieira Copyright (c) 2020 Ciências & Cognição 2020-12-13 2020-12-13 25 1 99 116 QUALIDADE DE VIDA DOS CUIDADORES FAMILIARES DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA https://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1658 <p>O presente estudo teve como objetivo avaliar a qualidade de vida dos cuidadores familiares de crianças e adolescentes com transtorno do espectro autista por meio de questionários, um elaborado pelos pesquisadores com variáveis sociodemográficas, comportamentais do cuidador e condições de saúde da criança e adolescente com TEA e o <em>World Health Organization of Life (WHOQOL-bref)</em> usado para avaliar a qualidade de vida dos cuidadores. Trata-se de um estudo descritivo exploratório do tipo transversal, realizado na Fundação Casa da Esperança, no município de Fortaleza, Ceará, nos meses de outubro e novembro de 2018. Foram convidados a participar do estudo, cuidadores familiares de crianças e adolescentes com autismo na faixa etária de 4 a 19 anos incompletos em acompanhamento na Fundação Casa da Esperança. Todos os dados foram analisados por meio do programa estatístico SPSS na versão 20.0. Colaboraram com a pesquisa 102 participantes, a maioria do sexo feminino (97,1%), com idade variando de 35 a 45 anos (39,2%), casadas (47,1%), com ensino médio completo (36,3%), 52% sem atividade remunerada e com renda mensal de 1 salário mínimo (60,8%). 85,3% passam 24 horas cuidando do filho, 73,5% sentem-se sobrecarregadas e estressadas (72,5%), não realizam nenhuma atividade física 73,5%, não costumam ter lazer 37,3% e se sentem sozinhas no cuidar 66,7%. As variáveis associadas ao domínio meio ambiente, foram em sua maioria ruim 54,9%, os demais domínios físicos 65,7%, psicológicos 55,9% e relações sociais 41,2% tiveram suas variáveis descritas como nem ruim nem boa. Os resultados confirmaram haver uma diminuição na qualidade de vida dos cuidadores familiares, reforçando a necessidade de uma atenção maior dessa população.</p> Sr Francisco Valter Miranda Silva Claudiana Batista de Brito Aline Barbosa Ribeiro Eriany de Lima Mesquita Roselly Barros Crispim Paula Pessoa de Brito Nunes Copyright (c) 2020 Ciências & Cognição 2020-12-13 2020-12-13 25 1 117 126 INFLUÊNCIA DO AFETO NO JULGAMENTO E DECISÃO CONTÁBIL https://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1660 <p>Para avaliar a influência do afeto no julgamento e tomada de decisão contábil, realizou-se uma pesquisa experimental. A amostra compreendeu 115 alunos do curso de graduação em Ciências Contábeis, separados em dois grupos: afeto positivo (58) e afeto negativo (57). Todos os participantes foram requisitados a resolverem um caso de julgamento contábil para tomada de decisão. Ao entrarem na sala, foram orientados pela atriz/empresária, que teve a incumbência de gerar afeto positivo ou negativo para cada um dos grupos em momentos distintos. A atriz simulou ser uma empresária e os participantes os contadores que teriam que lhe ajudar. Para a análise dos dados, realizou-se os testes qui-quadrado e <em>Mann-Whitney</em>. Os resultados revelam que o afeto positivo influencia no julgamento e tomada de decisão contábil, quando o nível de dificuldade é maior para a resolução de determinado problema, o que faz com que os participantes analisassem a questão com mais atenção na identificação da melhor decisão diante do problema apresentado. A partir dos resultados, organizações contábeis poderão direcionar recursos para práticas que melhorem as relações de seus contadores com seus clientes, pois tais relações podem influenciar o comportamento no ambiente de trabalho e afetar o julgamento e tomada de decisão.</p> Mara Vogt Larissa Degenhart Carlos Roberto de Oliveira Nunes Carla de Almeida Vitória Paulo Roberto da Cunha Vinícius Costa da Silva Zonatto Copyright (c) 2020 Ciências & Cognição 2020-12-13 2020-12-13 25 1 127 140 A RELAÇÃO ENTRE A PRÁTICA REGULAR DE VIDEOGAMES E ATENÇÃO SUSTENTADA https://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1661 <p>A atenção sustentada é um domínio cognitivo presente em atividades essenciais na rotina de jovens universitários que dispendem muitas horas em sala de aula, concentrando a atenção em aulas expositivas, realização de exercícios e estudos para provas. Este estudo investigou a relação entre a prática regular com videogames e a habilidade de atenção sustentada avaliada através do CPT II. Colaboraram com a pesquisa<em> </em>122 universitários da região metropolitana de Florianópolis, divididos entre jogadores de videogame de ação e não ação, bem como não jogadores. Os participantes responderam uma bateria de testes, incluindo a avaliação da atenção sustentada, mapeamento de dados sociodemográficos e hábitos com videogames. Os resultados demonstram que, ao controlar o impacto de variáveis intervenientes, não se constatou diferença atencional entre os grupos. A comparação entre sexos apresentou significância com relação ao desempenho atencional, em que os homens tendem a responder mais rápido e mulheres cometem menos erros. Os achados sugerem que a prática regular com videogames não possui relação com desempenho atencional e pesquisas futuras devem investigar impactos de variáveis intervenientes, como a comparação entre sexos.</p> Lucas Martins Nascimento Carolina Baptista Menezes Copyright (c) 2020 Ciências & Cognição 2020-12-13 2020-12-13 25 1 141 156 CORRELAÇÃO ENTRE VELOCIDADE DA PERCEPÇÃO VISUAL E MINI-EXAME DO ESTADO MENTAL https://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/1663 <p>Introdução: O <em>Critical Flicker Fusion</em> é um método não invasivo que pode ser utilizado para rastreio de distúrbio cognitivo (DC), contribuindo para o diagnóstico mais objetivo das demências. Objetivos: Comparar a velocidade de percepção visual e valores do Mini-Exame do Estado Mental (MEEM) de indivíduos com e sem DC. Metodologia: Estudo observacional analítico realizado de agosto de 2017 a julho de 2018. A amostra foi formada por pacientes atendidos num serviço de geriatria local. Procedeu-se aferição de CFF cujos resultados foram comparados com valores recentes de MEEM. Utilizou-se o qui-quadrado para comparar proporções e o t de Student para comparar médias. As correlações lineares foram avaliadas pelo r de Pearson ou rho de Spearman. Definiu-se significância estatística p&lt;0,05. Resultados: A amostra final foi composta por 63 indivíduos, cujos valores de CFF demonstraram estar correlacionados à idade (p&lt;0,001) e aos valores de MEEM (p&lt;0,05). Ainda, o CFF foi capaz de discriminar os pacientes por presença de DC, não sendo influenciado pela escolaridade. Conclusão: O CFF se mostrou capaz de diagnosticar a presença de DC, além de ser um teste mais objetivo que o MEEM. Contudo, novos estudos são necessários para definir seu ponto de corte ideal, bem como sua real acurácia.</p> Alberto Pereira Firmino Filho João Vitor Coelho Pacheco Karen da Silva Cardoso Alex Lima Silva Marcelo Xavier de Oliveira Copyright (c) 2020 Ciências & Cognição 2020-12-13 2020-12-13 25 1 157 171